[Crônicas] · [Juliana Skwara] · [Que a saudade viva]

Que a saudade viva

– E se algum dia sentir saudade?
Daquilo tudo que um dia foi e viveu?
Sentir saudade é como fechar os olhos, colocar a mão sobre o peito e sentir seu coração bater aceleradamente. Ela pode doer, ser alegre ou triste.
E quando bater a saudade, procurar fotos antigas, cartas escondidas na caixa de sapato, conversas esquecidas na memória, votos de amizades eternas, nossos livros preferidos, o aceno pela janela, músicas queridas, se recordar daqueles dias tão bonitos, daquelas tardes ensolaradas, beijos atrás da escada e todos os sonhos compartilhados. Tudo para acalmar o seu coração.
A saudade pode vir acompanhada de um aperto no peito, lágrimas, sonhos, sorrisos e felicidade. A saudade me assombra, não de uma forma de sentir medo, mas de sentir carinho, amor e vontade de voltar no tempo. Correr atrás de tudo aquilo que foi vivido e inesquecível.
Acontece que o que vivemos, um dia vira página virada. Capítulos que escrevemos e fazemos questão de esquecer ou lembrar.
A saudade não é um sentimento que alguém escolhe sentir, justamente porque nem sempre é bom. Ela simplesmente acontece, vem. Um dia você acorda e inexplicavelmente se lembra de algo que traz sentimentos intensos. Fica até tarde na cama, chora, escuta aquela música, olha o sol, aquela tarde linda e promete que tudo voltará a ser como antes.
O homem mais rico do mundo pode sentir saudade e não conseguir mudar isso, porque com a saudade não há dinheiro que compre ou pague. É algo que está acima disso e ninguém sabe exatamente do porquê acontecer.
Saudade é uma palavra que existe apenas no português. O correspondente dela em inglês é “I miss you” que quer dizer, “sinto a sua falta”, mas sentir falta é sentir saudade?
Não, não é. Você pode sentir falta de alguma pessoa ou de algo, mas não necessariamente sentir saudade dela. Já a saudade sim, vem acompanhada de carência, perda, vazio e afastamento.
Eu sinto saudade de quem eu fui, das roupas que usava, das minhas músicas, do meu jeito de pensar, dos meus amigos, dos passeios que fazíamos, de amigas que se perderam, de confidências, de sonhos, do amor aos livros que dividíamos, das pessoas com quem trabalhei, de alguma amizade desfeita, de algum amor perdido, de alguma pessoa que se foi e infelizmente não poderá voltar.
Geralmente quando sinto saudade é de alguma época boa, gostosa e onde fui muito feliz, mas simples. Onde não se exigia muito para ser feliz. Era uma época livre de preocupações e medos. Cheia de liberdade e onde pensávamos ser felizes para sempre.
Escrevo este texto com a finalidade de poder dividir isto e não deixar a saudade me sufocar e se apossar do meu coração. Porque eu quero sentir saudade, só não quero que ela se transforme em tristeza. Foram épocas boas que vivi, mas quero me lembrar delas com carinho e respeito e não quero sentir raiva se as coisas já não são como antes.
Porque eu sei que mudamos e as coisas ao nosso redor também. O mundo gira e ninguém pode ser a mesma pessoa o tempo todo. Minha filósofa preferida já tinha dito isso quando eu tinha quinze anos e não acreditei.
As nossas memórias ficam para que possamos acessá-las como um filme, onde escolhemos os nossos preferidos e os mais odiados. E assim espero que quando sentir saudade, saiba que isso ficará eternizado para sempre. Porque saudade para mim significa eternizar.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s