[Crônicas] · [Nem todas as histórias de amor têm um final feliz]

Nem todas as histórias de amor têm um final feliz

Eu sofro de uma síndrome. Sempre que vou ler algum livro, assistir alguma série/ filme ou novela, acabo torcendo para a pessoa errada do triângulo. SEMPRE. É impressionante tamanho azar! Por causa disso, tomei uma verdadeira raiva de triângulos amorosos que em determinadas vezes me fazem torcer para a pessoa errada ou acabar ficando dividida. Foram poucas vezes em que torci para a pessoa certa e pude respirar aliviada com o final. O livro Dividindo Mel da Iris Figueiredo é um desses. Calma, fiquem tranquilos, nada de spoilers. Mas digamos que como leitora fiquei bastante contente com a resolução da história.

Atualmente estou sofrendo, no limbo dos leitores com Fazendo meu filme 3 da Paula Pimenta. Existe um triângulo entre Fani – Leo – Christian e espero honestamente que ela não esmague meu pobre coração. Também não tive a mesma sorte com a novela A favorita, na qual a personagem da Mariana Ximenes (acho que se chamava Lara) namorada o nerd bonitinho interpretado pelo Thiago Rodrigues sendo que no fim, ela ficou com o Cauã Reymond. Tá, é o Cauã, mas mesmo assim, não torcia por ele.

Por conta de todos esses casos, fiquei conhecida entre amigas e primas como “a pessoa que sempre torce para a pessoa errada”. Cheguei em um estágio que nem torço mais, justamente para não me decepcionar ou ficar com raiva. Pensando nisso tudo, comecei a refletir do porquê meu problema com triângulos amorosos. Acontece que as histórias refletem a vida real. Nem todo casal bonitinho fica junto no fim e nem todo o amor é para sempre. Alguns no decorrer do caminho, descobrem estar apaixonados pela pessoa z que nem fazia parte da equação. Aposto que você já viu histórias assim, eu também. O problema é que idealizamos pessoas, situações e relacionamentos. As coisas nem sempre são como queremos e tomam o rumo que devem seguir, o seu caminho natural.

A vida não é justa e os livros, séries, filmes e novelas têm como objetivo fazer as pessoas refletirem e levarem a discussão para as suas vidas. Acontece também das histórias não serem tão fiéis a realidade. Veja no caso de Crepúsculo, por mais que Edward Cullen e Bella Swan tenham terminado juntos, se fosse a vida real provavelmente não ficariam. Bella se casaria com Jacob e Edward terminaria imortal e solitário. (E olha que sou Team Edward hein?). Isso sim é realidade.

A verdade é que histórias de amor podem ser lindas ou tristes. E é uma pena que nem sempre o casal termine junto, mas às vezes certas mudanças na vida acontecem porque mais para a frente, tem algo melhor esperando. Pode ser um novo amor, uma viagem, algum acontecimento profissional. Infelizmente não somos videntes para saber o que vai acontecer, só vamos saber se arriscar. E como diria Augustus Waters, ““Não dá para escolher se você vai ou não vai se ferir neste mundo, mas é possível escolher quem vai feri-lo.”

Às vezes vale a pena ter vivido a história, mesmo que o livro tenha terminado.

Fonte da imagem 

Dom Casmurro, uma história clássica de amor onde nem tudo é perfeito e sem final feliz

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s