Hábitos freaks de escrita

 

 

 

Depois de ser engolida por um buraco negro chamado “problema no computador” e a “internet caiu”, voltei com um post que prometi faz um tempinho. No início pensei em fazer em vídeo, mas como o tempo e a internet não colaboraram muito, decidi fazer por escrito mesmo. Como alguns já sabem, em breve vamos ter um vlog recheado de conteúdos legais. Não posso adiantar muito, porque é surpresa ^-^

Vocês podem ter observado que ficamos um tempinho sem posts e não foi só por problemas tecnológicos. Eu estou finalizando o meu segundo livro e reescrevendo um outro. Imaginem onde anda a minha cabeça? Isso mesmo na lua! Durante essas semanas pude observar os meus hábitos de escrita e decidi falar sobre eles aqui. Sei que tem muita gente ansiosa para o lançamento do meu primeiro livro e um dos motivos para escrever esse post, foi saciar a vontade de alguns ❤

Reparem que os meus hábitos são um tanto quanto comuns, engraçados e meio loucos HAHAHA. A verdade é que escrever é maravilhoso e ao mesmo tempo doloroso. Não é tão glamouroso quanto algumas pessoas imaginam, mas por trás existe um prazer imenso em criar histórias.

Agora vamos ao que interessa, porque a escrita não pode e nem deve parar.

1 – Prefiro escrever em um caderno no que computador. 

Para começar, preciso dizer que não escrevo necessariamente no computador. Eu prefiro escrever em um caderno especial reservado para o livro e depois passar para o notebook. Sim, dá um trabalho do caramba e já rendeu muitas confusões. Só que é assim que funciono. Por trabalhar online, fica meio complicado escrever quando o computador está ligado. E nem sempre quando a ideia bate estou em casa ou de frente para o PC. E é aí que os caderninhos e o gravador do celular me salvam.

Outro detalhe importante é que o primeiro passo para escrever é…ESCREVER! Isso mesmo! A primeira lição é não podar a sua escrita. Quando estou com vontade e está na hora de escrever – sim, eu tenho um horário para escrever. Falo sobre disciplina em outro post – sento e escrevo. Não importa se está abreviado, errado ou confuso. O importante é colocar para fora. Costumo corrigir só depois. Aprendi isso ao escrever o meu primeiro livro que ainda não foi publicado e me deu muita experiência. Hoje em dia rola um filtro na hora de escrever, mas ainda assim prefiro me deixar livre e me atentar para os erros só depois que o livro estiver finalizado.

2 – Eu adoro escrever de noite. 

Sim, você não leu errado. Sou da turma dos vampiros e dos darks. Não bastava só gostar de escrever ficção sombria, eu tinha que escrever também a noite.

Desde que decidi ser escritora, grande parte das minhas histórias são escritas durante a noite. Já escrevi de dia quando tive necessidade e confesso que fica difícil escrever quando se estuda e trabalha, mas não é impossível. Quando não estou de férias e pretendo escrever até tarde, aproveito os feriados, sextas – feiras e finais de semana. Sinto que rendo muito mais quando anoitece. Parece que de dia fico muito agitada enquanto a noite me sinto mais relaxada e perco as horas escrevendo.

A melhor parte de escrever de madrugada é que não tem ninguém acordado, te enchendo o saco ou te impedindo. Por outro lado já me rendeu muitas histórias, algumas engraçadas e outras assustadoras. Já aconteceu de estar escrevendo uma cena sombria e me assustar com o barulho do vento, porque eram 3 horas da manhã e não tinha ninguém acordado e passando na rua. Uma outra vez, estava escrevendo sozinha na sala quando vi alguém passando no corredor. Estavam todos dormindo e bem, a princípio não era ninguém. O que quer que fosse, até hoje não sei do que se trata.

3 – Só consigo escrever ouvindo música

Já postei essa imagem antes e até discuti o assunto na minha coluna sobre escrita no NE, mas a verdade é que não consigo escrever sem música. Eu preciso ouvir alguma música que me inspire e me motive a escrever. Como sou fã de rock, principalmente os Indies e os clássicos, músicas antigas dos anos 80 e pop, eles são os gêneros que mais costumo ouvir enquanto escrevo. Também curto trilha sonora de filmes, séries e sons experimentais. Enquanto para algumas pessoas escrever ouvindo música atrapalha, no meu caso sinto um alívio enorme. Também ajuda, porque moro com outras pessoas e o som abafa qualquer som ou conversa que posso me distrair da história. O que é ótimo e me embala a ponto de não ouvir ninguém me chamando ou fazer ideia do que está “acontecendo lá fora”.

Sou do partido que acredita que ao escrever precisamos nos isolar. A profissão de escritor pode soar solitária e é, mas nessa área são necessários alguns sacrifícios se o autor quer realizar o seu sonho e atingir a sua maturidade profissional.

E vocês, escritores ou não, tem algum hábito engraçado de escrita? Dividam comigo, vou adorar saber mais sobre o processo criativo de vocês!

Anúncios

2 comentários sobre “Hábitos freaks de escrita

  1. AC Meyer disse:

    O primeiro da sua lista, definitivamente, não é p mim! aahahaaha
    Mas sou uma escritora da madrugada, é meu horário mais inspirado e amo escrever com música!!

  2. Eurico Gomes disse:

    Oi, esse post foi muito inspirador pra mim. Eu também gosto de escrever de madrugada, mas achava que eu tinha que mudar esse hábito. Pelo visto, não preciso, o negócio é aproveitar mais os fins de semanas! Boas ideias essas suas!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s