Uncategorized

Cuidado Com Remédios que Dão Onda Demais TM

Desde que me tornei adolescente, eu sofro muito com TPM. Por conta disso, tenho que tomar um remédio para dores. O remédio funciona muito bem, as dores vão embora. Perfeito né? Nem sempre.

Acontece que esse remédio é responsável por me deixar dopada, ele dá sono. Não só isso. Ele me deixa alta, ou como alguns amigos carinhosamente gostam de me chamar: “fumada”. E não, esse não é um post de apologia para drogas, nem nada do tipo (Não tenho nada contra quem curte essas coisas, mas sou bem caretona e essa não é a minha praia, que fique claro). Só que esse estado aéreo acabou me proporcionando umas reflexões interessantes. Como sempre costuma acontecer quando a inspiração bate. E olha, foi louco!

tumblr_o440kwC6ds1v7o7pro1_500.gif

 

Quando fui tomada pelo efeito do remédio, eu me senti bem aérea e com o pensamento solto. O que é bem normal nessas situações e me peguei pensando em várias coisas, histórias, cenas na minha cabeça. Foi quando me toquei que aquela sensação me lembrava demais como é estar inspirada. Todas às vezes que me senti inspirada para escrever foi muito por acaso. Nunca existiu um padrão. No banho, indo caminhar, de madrugada, dormindo ou em uma aula chata na faculdade. Uma cena, um visual, uma pessoa, uma situação, um mistério. Qualquer coisa pode me deixar vidrada a ponto de escrever horrores sobre aquilo. Escrever para mim sempre foi como montar um quebra cabeça, onde eu sou responsável por preencher as lacunas dos enigmas do quem foi, onde e como. E isso me fascina. Me deixa completamente louca, obstinada. Sempre que estou inspirada, entro em estado catártico, onde não importa o que as pessoas estão falando, se o volume da tv está alto ou a música atrapalhando. Eu já não estou mais aqui. Meu corpo está, mas a minha mente está em algum universo alternativo onde minhas ondas cerebrais flutuam em movimento ao som de Florence and the Machine.

A inspiração é uma coisa louca, uma sensação gostosa e arrebatadora que aparece de vez em quando e eu tenho certeza de que você já viveu isso, seja jogando aquele game que é viciado, assistindo a sua série favorita ou degustando a sua comida preferida. Todos nós já vivemos essa sensação. Eu ontem por exemplo no final da aula da yoga no momento da meditação. Achava que já estava em marte, com a meditação guiada.

tumblr_nfteks1I2k1r0o3jvo1_500

E eu senti muita falta dessa sensação. Sensação de estar livre para pensar, refletir, criar. Obstinada por algum pensamento, coisa ou pessoa que me faça querer passar dia e noite lendo e pesquisando para escrever sobre aquilo. Aquele tormento que não sai da cabeça, mas um tormento bom que te preenche, que te deixa com um sorriso nos lábios e faz o seu coração acelerar como se estivesse apaixonado. E eu voltei a sentir isso tudo novamente e é tão bom, tão gostoso! É uma sensação tão jovem, genuína e única.

E quando isso acontece, minhas ideias nunca surgem prontas. Mas não mesmo, rá! Eu tenho as ideias mais loucas, despirocadas que imaginar. São sempre ideias para histórias trash, nonsense, doidas. E só depois de elaboradas, aí sim, elas se tornam ideias redondas. Mas inicialmente não são e eu tenho um pouco de pena do meu tic e teco, porque eu amo as ideias que não fazem o menor sentido, digamos que sou bastante atraídas para ela e dá bastante trabalho moldá-las lol

Quando o efeito do remédio passou, eu me senti muito motivada a escrever sobre todas essas situações que ando vivendo no meu retorno ao mundo dos livros. Não acho que o remédio seja o responsável por isso, até porque não acredito na ideia de que só conseguimos ser estimulados com substâncias químicas e sou completamente anti drogas (calma aí, opinião pessoal). Eu acredito e gosto de estar bem lúcida, com os meus pés no chão e não precisar de nada disso para me inspirar. É que todo aquele estado e transe me lembrou como ficava quando estava inspirada. E foi aí que surgiu a ideia de voltar a escrever e criar esses posts. Isso aqui não é um diário de escrita, muito menos um compêndio de dicas de como escrever bem, Deus me livre. Mas sim um texto com reflexões e pensamentos sobre alguém que sempre escreveu e depois de tanto tempo sem escrever, está tentando se (re) encontrar nesse mundo de inspirações, histórias, ficção x real e tá sendo mucho loco. E eu tô feliz de estar cumprindo e deixando a minha inspiração livre para passear, fazer novos amigos e trazer novas histórias, não importa de que forma. Eu estava precisando. Sinto que estou voltando para casa, depois de muito tempo longe.

“He was young, he was hot,
he made me feel alive.
So in love I was falling,
ooh, it’s early morning”
The Sun Ain’t Shining No More (The Asteroids Galaxy Tour)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s