Dia das Bruxas · Halloween · Infantojuvenil · Lobisomens · O Clube do Terror · Sobrenatural · Terror Psicológico · The Nightmare Room · [ The Haunting Hour] · [A hora do Arrepio] · [Anos 90] · [Direto do túnel do tempo: O mundo de Goosebumps] · [Editora Rocco] · [Fantasmas à solta] · [Goosebumps] · [Halloween em noite de lua cheia] · [Leitores] · [Literatura] · [Livros] · [O Espantalho anda à meia - noite] · [R. L. Stine] · [Resenha] · [Séries] · [Terror] · [The Haunting Hour] · [Vampiros fantasmas e Bruxas]

Halloween em noite de lua cheia (A hora do Arrepio) – R. L. Stine

 Tristan acha seu novo professor, Sr. Delua, muito estranho.E está prestes a descobrir o quanto estranho ele é ao ser convidado a participar da sua festa de Haloween… onde todas as portas e janelas são trancadas com barras de ferro… E uivos de lobisomem ecoam por toda a casa!

Olá, sentiram a minha falta? Depois de um longo tempo longe por um turbilhão de motivos, estou aqui de volta com o primeiro post do ano *–* Desejo todos a vocês um BIG 2017 recheado de paz, saúde, amor, felicidades e luz. E como não poderia deixar de ser, mesmo enrolada com TCC e diversas outras coisas, trouxe um post sobre um livro super gostosinho de ler. E se preparem, porque vão ter mais posts durante a semana! Estou na reta final do meu tcc, mas decidi – para me distrair – aparecer por aqui e atualizar com os livros que já li e séries que venho assistindo. Vocês vão adorar as novidades que vamos ter esse ano *O*

A hora do Arrepio (The Nightmare Room) é uma série de livros do escritor R. L. Stine, que muitos de vocês devem conhecer. Stine é autor de Goosebumps, Rua do Medo, The Haunting Hour e Fantasmas à solta. Suas histórias também inspiraram a criação da série Clube do Terror (Midnight Society) que ficou muito famosa nos anos 90 e passava a tarde na TV Record. O autor tornou-se famoso, pois seus livros venderam mais de 300 milhões ao redor do mundo e por conta disso, entrou no guinness book. Antes de Harry Potter fazer história, R. L. Stine fez um marco na literatura.

 Suas séries faziam tanto sucesso que foram adaptadas para a TV e recentemente para o cinema. A série de A Hora do Arrepio passava nas tardes do SBT e contou apenas com 13 episódios. A série de livros teve 15 livros publicados, 11 desses sendo publicados pela Editora Rocco no Brasil. Halloween em noite de lua cheia é um dos meus favoritos da série e possui um episódio que vocês podem assistir no youtube (está no final do post). Grande parte dos livros da série foram adaptados para a tv e com isso, tiveram que mudar algumas coisas – o que é super comum nas adaptações -, mas a essência das histórias ainda são as mesmas.

 Se você nunca leu ou assistiu alguma coisa do universo do R. L. Stine, primeiro tem que entender que o R. L. Stine trabalha com terror psicológico e que escreve para o público infantojuvenil. Ele também têm livros de terror para adultos, mas seu público alvo maior são os teens. E essa é uma das características mais ricas de suas histórias. Nelas, vão encontrar escolas, famílias, crianças, casais de namorados, jogadores de basquete se envolvendo em várias aventuras com monstros, zumbis com muito terror. E claro, sem deixar a diversão de lado!

E em Halloween em noite de lua cheia não poderia ser diferente. Nessa história, temos uma turma de amigos: Rosa, Tristan, Ray e Bella que são convidados pelo misterioso professor Sr. Delua para a festa de Halloween na casa dele. O problema é que o professor é novo na escola e já parece ter uma implicância com esses alunos. Eles ficam mais ressabiados ainda ao descobrirem que os outros alunos da escola não foram convidados. Até o filho do Sr. Delua, Michael tenta convencê-los a não irem. Para completar, o lugar onde moram está sendo alvo de ataques de algum tipo de animal que vem assassinando os bichinhos de estimações da vizinhança. Mas os amigos resolvem não dar corda e acabam embarcando em uma noite misteriosa e cheia de reviravoltas.

O que notei – tanto na história quanto no episódio – é que as partes pesadas da história permaneceu, o que contribuiu para o clima soturno do livro. Mesmo escrevendo para o público infatojuvenil, Stine deixa o teor mais sombrio em suas histórias – sua marca registrada. Halloween assim como grande parte dos seus livros, possui um final intrigante e muito criativo. A leitura é leve, fluída e muito envolvente. É um livro em que é possível ler de uma vez só. Outro detalhe sobre a série é que foi muito influenciada por Twilight Zone com sobrenatural/ terror e ficção científica como tema. Mas isso aí é assunto pra outro post. 

Para a galera que curte terror psicológico com  uma linha mais leve para o público infantojuvenil, as histórias de R. L. Stine sempre serão uma ótima pedida. Assistam o episódio baseado no livro e não esqueçam de me contar o que acharam ❤

Editora Fundamento · Jack Black · Lançamento · O Clube do Terror · Sobrenatural · Trailer · Trailer de Goosebumps: Monstros e Arrepios · [A hora do Arrepio] · [Anos 90] · [Clube do Terror] · [Direto do túnel do tempo: O mundo de Goosebumps] · [Fantasmas à solta] · [Filmes] · [Goosebumps] · [Halloween em noite de lua cheia] · [Horrorland] · [Juliana Skwara] · [Leitores] · [Literatura] · [Livros] · [Netflix] · [R. L. Stine] · [Séries] · [Terror] · [The Haunting Hour]

Trailer de Goosebumps: Monstros e Arrepios

 Quem me conhece sabe que sou super fã do R. L. Stine e Goosebumps, que foi assunto várias vezes aqui. A adaptação da série Goosebumps publicada pela Editora Fundamento, cuja primeira temporada está disponível no Netflix, ficou famosa por causa da série que foi exibida na Fox Kids nos anos 90. R. L. Stine também é autor de Rua do medo e A hora do arrepio que também viraram séries. O filme tem Jack Black no elenco e estreia prevista para Outubro de 2015. Quem aí está ansioso? Eu tô contando os dias! Podemos comemorar, o terror e os anos 90 estão de volta!!!

[Adam Sandler] · [Afinado no amor] · [Anos 90] · [Click] · [Com amor para Adam Sandler] · [Comédia] · [Drama] · [Filmes] · [Lembranças] · [Trocando os pés]

Com amor, para Adam Sandler

Caro leitor, talvez você não saiba, mas sou muito fã do Adam Sandler. Na verdade, ouso dizer que ele é um dos meus atores preferidos de todos os tempos. Pode ser que a grande maioria discorde de mim, mas tem um brilhantismo nesse ator que me faz admirar os seus trabalhos, por mais patetas que alguns sejam. Adoro seus personagens losers, deslocados ou atrapalhados. O que torna uma comédia atraente é justamente por ser familiarizada com a realidade. E quanto de nós, somos assim? Por favor, né? E claro, também tem o fator “ele estrelou dois filmes que amo: Afinado no amor e o clássico Click. Passei grande parte da minha infância nos anos 90 assistindo e crescendo com os seus filmes. Adam me remete a uma parte maravilhosa da minha vida na qual a minha maior preocupação era ser tesoureira do fã clube das Spice Girls.

Pois então, na semana passada, fui ao cinema com o meu namorado assistir “Trocando os pés”, o mais novo filme do Adam. Eu já tinha lido uma entrevista do Sandler (só para os íntimos) em que comentava que “Trocando os pés” era um filme um pouco diferente dos outros que atuou. No qual pode exercer um pouco o lado dramático, o que não é muito comum nas tramas que participa.

Apesar do Djan – também conhecido como o meu namorado – não ter curtido e achado a trama “muito previsível”, eu amei! Trocando os pés não é o melhor filme do Adam, não tem o melhor roteiro e nem entrou para o meu top de filmes favoritos, MAS a história e as peripécias dos personagens me fizeram perder as horas, ter uma noite agradável e ser conquistada pelo enredo.

O filme conta a história de Max, um homem comum que herdou o ofício de sapateiro de seu pai e leva uma vida sem atrativos e poucas alterações. Tem uma mãe que já está muito velhinha e seu único amigo é o seu vizinho de trabalho, o barbeiro Jimmy. Até que um dia em que tudo dá errado, ele descobre uma máquina muito velha e escondida no subsolo do trabalho que pode salvar a entrega dos sapatos. Ele só não contava que ao colocar o sapato dos clientes, ficasse com a forma física do dono. A partir daí, são várias situações engraçadas e cômicas. Pausa para dizer que adoro quando comédias flertam com fantasia ❤

Apesar de encontrar um Adam Sandler mais velho e sério (pois é, a idade chega pra todo mundo), o filme é divertido e leve. O personagem Max se mete nas situações mais engraçadas e típicas de comédias americanas. E como não podia deixar de ser, o filme conta com a presença de alguns atores sensacionais como Dustin Hoffman e Steve Buscemi, que também atuou em O paizão. Se você também acompanha os filmes do Adam, vai perceber que ele costuma trabalhar com os mesmos atores. O Rob Schneider é um exemplo de ator que de vez em quando surge nos filmes de Sandler. Para quem não sabe, além de atuar, Adam também produz os seus próprios filmes e segundo o Adoro Cinema, a ideia para “Trocando os pés” surgiu de uma expressão, espécie de ditado que existe nos EUA que diz que “Você não conhece um homem de verdade até caminhar um quilômetro com os sapatos dele”. Ele também se inspirou no sapateiro perto de sua casa quando era criança.

No fim das contas, a história passa uma mensagem muito bonita, que é importante não desistir dos sonhos e nem perder a fé. E nem ter pena de si próprio e se desvalorizar como Max fazia diversas vezes em que era testado. Sim, isso é pra lá de clichê, mas vamos confessar que é uma delícia né?

Só sei que no final, Adam me fez sentir com sete anos novamente, na sala de estar da minha casa em um verão muito quente, cujo maior sonho era ser tão cool como a Drew Barrymore quando crescer.

Valeu Adam! Estava com saudade ❤

[A hora do Arrepio] · [Anos 90] · [Crônicas] · [Editora Rocco] · [Fantasmas à solta] · [Filmes] · [Goosebumps] · [Literatura] · [Livros] · [R. L. Stine] · [Terror] · [The Haunting Hour]

Minhas coleções de livros do R. L. Stine #Parte1

 

Dizem que na vida todo mundo carrega um vício. Alguns chocolate, roupas e nos meu caso foram os livros. Ué, como assim foram? Bem, não escondo de ninguém que sempre fui apaixonada por livros e isso me fez comprar vários, alguns de forma impulsiva. Com o tempo, reparei que não era justo. Consegui me “desapegar” e doei alguns livros, dei, troquei, fiz sorteios e vendi. Cheguei a conclusão de que posso amar os livros, mas isso não significa que deva comprar sem parar e deixar largados na estante “só pra tirar foto” ou como dizem, “ostentar”. Meus livros diminuíram muito e agora posso dizer que não são mais um vício, mas sim uma paixão.

Ainda assim, me permiti cometer algumas loucuras hehe. Todo mundo é fã de alguém na vida. Seja na música, na tv ou na Literatura. Comigo, não podia ser diferente. Sempre que leio livros e acabo me apaixonando pela escrita do Autor, decido acompanhar as outras obras dele.  Hoje venho apresentar a minha coleção de livros de um dos Escritores que mais amo no universo, R. L. Stine ou Bob – como os fãs o chamam.  Pode não parecer, mas sou muito exigente com os livros. Tirando o R.L. Stine, também faço coleção dos livros da Agatha Christie, Stephen King, L. J. Smith, Paula Pimenta, Scott Westerfeld, Marian Keyes e J. K. Rowling. Se vocês toparem, faço outro post sobre as minhas outras coleções.

 

 

Draculaura fazendo companhia aos irmãos *–*

Meu interesse pelos livros do R. L. Stine começou com a série que acompanhava pela TV e os livros que tinham na Biblioteca e feirinha do colégio que estudava. Na época, não tinha dinheiro para comprar e costumava pegar emprestado da biblioteca e das amigas. Foi assim que acabei me apaixonando pela escrita instigante e viciante do Escritor. O que mais me impressionava é que apesar de escrever para crianças, os adultos também liam os seus livros e ficavam encantados. Acho que essa é a magia do livros, torná-los universais de forma que diferentes públicos se interessem por ele.

Passei praticamente a minha infância e adolescência inteira assistindo O Clube do Terror, Goosebumps e A hora do arrepio. Como falei em outro post, todas essa séries e mais The Haunting Hour – uma espécie de regravação de A hora do arrepio em 2010-  foram baseadas em seus livros. Alguns episódios podem até ser diferentes dos livros, mas 90 % segue o ritmo da história. O tempo passou, acabei parando de assistir, mas os livros dele nunca saíram do meu coração. E foi quando comecei a escrever os meus próprios livros  buscando Livros e Escritores que me inspiraram, fiz uma viagem no túnel do tempo e decidi começar a fazer coleção. Ah Juliana, mas são livros de criança! Não, não são. R. L. Stine tem fãs de todas as idades, é super popular nos Estados Unidos e também escreve livros para adultos, na mesma vibe de Stephen King.

 

 

Acho que o destino quis ajudar, porque em uma dessas trocas em que me desfiz de alguns livros, encontrei uma leitora que queria trocar os livros dele. Foi um sinal e a partir daí, comecei a caça aos livros de Bob. Infelizmente alguns títulos como Rua do Medo, Fantasmas à solta e A hora do arrepio foram publicados pela Rocco há muito tempo e não faço ideia se eles continuam publicando. Já os exemplares de Goosebumps são publicados pela Editora Fundamento. Resumindo: alguns comprei em sebos, troquei e ganhei de aniversário e sem ser no meu aniversário hahaah. O mais legal é que amigos costumam encontram os livros dele e logo vem me avisar. Adoro quando sou lembrada, isso é bem coisa de fã ❤

Sei que vocês devem pensar que a minha coleção é modesta, mas acreditem que estou fazendo de tudo pra adquirir mais títulos. Até já entrei em contato com donos de sebos pra vocês notarem o amor que tenho por essas séries. Também acabei fazendo muitas amizades com outros fãs, o que é ótimo. Apesar de R. L. Stine ser popular no Brasil é difícil entrar em contato com os fãs. A notícia boa é que recentemente foram públicados lá fora dois livros da Fear Street: Party Games e Don’t stay up late, ou melhor da Rua do Medo e estou torcendo para a Rocco publicá-los. Já perguntei para eles, mas a Editora ainda não me respondeu a respeito. R. L. Stine participou de um Evento de lançamento do livro na semana passada em Nova York, o que me fez ficar bem triste por não poder estar lá, mas quem sabe um dia? Sonhar não custa nada!

Para o texto não ficar mais longo, se vocês toparem, posso falar sobre os livros em futuros posts. E aí, topam? Outra notícia boa é Goosebumps vai virar filme com Jack Black. Pirei com a notícia ❤ Isso é ótimo para os livros e o R. L. Stine voltarem com força total! 2015 é um ótimo ano para ser fã de R. L. Stine hahaha

 

Bem - vindo ao Acampamento dos Pesadelos · [A hora do Arrepio] · [A rua do medo] · [Anos 90] · [Clube do Terror] · [Crônicas] · [Direto do túnel do tempo: O mundo de Goosebumps] · [Eye Candy] · [Fantasmas à solta] · [Fantasmas bruxas lobisomens e psicopatas] · [Fã Clube] · [Goosebumps] · [Horrorland] · [Juliana Skwara] · [Literatura] · [Livros] · [Netflix] · [O Espantalho anda à meia - noite] · [R. L. Stine] · [Sorria e Morra] · [Terror] · [The Haunting Hour] · [Thriller] · [Vampiros fantasmas e Bruxas] · [Youtube]

Direto do túnel do tempo: O mundo de Goosebumps

Ser criança nos anos 90 significava curtir um monte de coisas legais como Sabrina, a Aprendiz de Feiticeira e séries baseadas nos livros do awesome Escritor R. L. Stine como Goosebumps. Uma das minhas maiores lembranças de quando criança era assistir e ler O Clube do Terror, HorrorlandGoosebumps  e A hora do arrepio. Se você foi criança nessa época, com toda certeza sabe do que estou falando >.<

 R. L. Stine é um Escritor que foi muito popular nos anos 90. Ele foi considerado a “J. K. Rowling” daquela década. Grande parte das suas séries de livros viraram série de TV – com exceção de A rua do medo que também amo. Com temáticas sombrias, suas histórias são cercadas pelo sobrenatural. Fantasmas, bruxas, lobisomens e psicopatas, R. L. Stine consegue fazer uma combinação perfeita de fantasia, sobrenatural e thriller de arrepiar os cabelos. Ao contrário do que muitos imaginam, apesar do público alvo de Bob – como os fãs o chamam – serem as crianças, ele também escreve para adultos como o livro Eye Candy que recentemente foi adaptado para a TV em formato de série pela MTV.

 

Além de ser fã do R. L. Stine, também o considero uma grande influência como Escritora. Adoro como as tramas dele se desenrolam, fugindo do óbvio e personagens clichês.  R. L. Stine consegue dar volta no leitor, surpreender e entregar um final instigante. Ele é um dos meus Escritores favoritos, tanto que faço coleção de seus livros.  O mais bacana é que apesar do livro ser editado por várias Editoras diferentes, as diagramações têm os climas dos livros e as capas são sensacionais, sombrias e desenhadas. Elas viraram referência a obra do Escritor.

O que mais me fascina em Goosebumps (Arrepios em Português e do ano de 1995) é que diferente de O Clube do Terror, os finais nem sempre têm lição de moral. Enquanto que no Clube temos um grupo de adolescentes se reunindo ao redor de uma fogueira para contar histórias assustadoras com uma lição de moral no final,  Goosebumps foge do óbvio e inova com finais e tramas bem arrepiantes. Alguns livros e episódios até achei que não são tão infantis. O próprio autor já contou em entrevistas que seus Editores pedem pra pegar mais pesado. Confesso que fiquei muito surpresa com tal declaração, já que grande parte das pessoas considera os livros infantis bobos e sem graça. Mas não se engane com R. L. Stine, suas histórias infantis assustam até mesmo adultos. E isso é sensacional! A obra de Bob é universal. Eu, vocês, seus irmãos ou filhos podemos ler a vontade. Ele consegue captar a alma dos leitores e escreve para todos os públicos. Quem não se lembra da música de abertura? É inesquecível!

 

                      

Essa é a minha coleção “O universo de R. L. Stine“. Sim, ela já aumentou e se vocês toparem, faço um post só sobre isso!

Recentemente descobri uma série de livros do Autor chamada “Fantasmas à solta” que meu namorado me presentou. Como ele sabe que sou muito fã, descobriu os livros por acaso em uma feirinha e não pensou duas vezes em me presentear. Diferente das outras séries, essa é uma continuação. Infelizmente não tenho o livro 1, mas mesmo assim isso não me impediu de ler e compreender a trama. Parece que “Fantasmas à solta” foi escrita nos anos 80 – como grande parte das outras – e foi um dos primeiros trabalhos do Bob. Foi ali que o autor começou a “fazer o seu nome”.

Há alguns meses também descobri uma série no Youtube chamada The Haunting Hour que foi inspirada nos livros do Autor. Essa série foi produzida recentemente – acredito que em 2006 ou 2010 – e sua essência é muito parecida com A hora do Arrepio e Goosebumps. Tem uns toques de O Clube do Terror, mas as tramas são bem sombrias. Se vocês toparem, posso fazer posts sobre cada uma das séries e os livros que tenho do Escritor. Como podem perceber, não vai ser nenhum sacrifício. Afinal fã nunca se cansa de falar de algo que curte ❤

De todas as séries, Goosebumps é que temos menos episódios no Youtube. Para a nossa felicidade, o NetflixDeus abençoe esse site – comprou várias séries de TV, inclusive a primeira temporada de Goosebumps que tem por lá. Eu claro que já assisti tudo, né? Meus episódios favoritos da primeira temporada são “Bem – vindo ao Acampamento dos Pesadelos” que tenho o livro e “Sorria e Morra” que é maravilhoso e podemos ver Ryan Gosling novinho atuando em uma das suas primeiras aparições na TV.  Já o meu livro favorito de Goosebumps é “O espantalho anda à meia – noite”

Aproveitem para assistir e deixem comentários pedindo para o site liberarem mais temporadas e episódios de uma das séries mais assustadoras dos anos 90.

 

 

 

Para quem curte terror, seja lá qual for a idade, essas séries são muito indicadas. Eu também adoro visitar o site oficial do R. L. Stine que é fantástico. Ele é super atualizado, com informações sobre lançamentos e curiosidades. O autor também é muito ativo no Twitter e super figura. Eu me divirto com os tuítes dele. Para vocês terem uma noção, sou tão fã do Autor que até criei um fã clube dele no Novos Escritores. E claro que os leitores estão super convidados a participarem *–*  Então, se você não conferiu, assistiu ou leu qualquer coisa do R. L. Stine, não perca tempo e corra para ficar por dentro.  O universo do R. L. Stine é definitivamente um caminho sem volta ❤