Remake de The Rocky Horror Picture Show (2016) estreia em Outubro

Depois de 40 anos da exibição do clássico The Rocky Horror Picture Show, o remake do filme vai estrear em Outubro no clima de Halloween na TV Americana com Laverne Cox como Dr. Frank N Furte, papel que foi de Tim Curry no original.
O filme conta a história do ingênuo casal formado por Brad (Ryan McCartan, o Diggie de Liv e Maddie <3) e Janet (Victoria Justice *–*) que estão viajando de carro, mas no meio do caminho, o veículo quebra e eles vão parar no castelo do Dr. Frank N Furter. Ele é um cientista maluco, “sexualmente ambíguo” que quer criar Rocky Horror, um homem que possa satisfazer seus desejos sexuais.

O telefilme de Kenny Ortega (que também produziu o primeiro) é baseado no musical de Richard O’Brien. O programa terá duas horas de duração e também tem no elenco: Adam Lambert, Annaleigh Ashford, Reeve Carney e Christina Milian.

Eu já assisti o original e curti muito, mas acho que vou curtir ainda mais o romake. Se quiserem, posso fazer um post a respeito dele por aqui *—*
Confira os trailers do filme para a TV. Eu já estou ansiosa ❤

 

Minha babá é uma vampira (My Babysitter’s a Vampire – O Filme)

 

Os pais do adolescente Ethan Morgan resolvem contratar uma babá para cuidar do menino e sua irmã mais nova Jane. A escolhida é Erica, uma menina que decide deixar o serviço para ir em uma festa. Sarah assume o lugar da garota, mas Ethan começa a desconfiar que ela é uma vampira. Ao lado do melhor amigo, ele vai viver uma aventura muito perigosa.

Minha babá é uma vampira (My Babysitter’s a Vampire) é um filme da Disney , produzido no Canadá que virou série após o seu estrondoso sucesso e arrebatar muitos fãs. O filme conta a história de Ethan Morgan, um adolescente que após se envolver em muitas encrencas ao lado do seu melhor amigo, Benny e não cuidar da sua irmãzinha Jane é obrigado pelos pais a ter uma babá. Se o mico não fosse suficiente, a babá em questão é Erica, sua colega de escola. Ethan é o típico geek, aficionado por games e ficção científica, o que traz um tom mais cômico para o enredo.

Enquanto isso, Erica anda chateada com a sua melhor amiga Sarah. Nos últimos tempos, as duas andam afastadas desde que a primeira começou a namorar Jesse, o cara mais gato da turma do teatro e pra lá de sombrio. Chateada com a amiga que anda com um comportamento estranho e pouco se importando com a estreia do filme de vampiros Penumbra –  que as duas são fãs – Erica decide ir a uma festa com a turma de Jesse e deixa a amiga e o emprego de lado.  Sarah que fica estranha sempre que Jesse, seu ex – namorado está por perto, tenta impedir a amiga de ir, mas ela ignora. Sarah então vai no lugar da amiga para o trabalho de babá.

Ao se deparar com a chegada da babá, Ethan e Benny notam que Sarah se comporta de um jeito estranho. Ela não tem reflexo no espelho e é super misteriosa.  Eles não esperavam que Sarah fosse uma vampira e que ela tivesse sido mordida por  Jesse. A partir daí, os dois se envolvem em muita confusão e vão tentar de tudo para salvar Sarah e seus amigos, Erica e Rory.  Acontece que Jesse é o líder da gangue do mal dos vampiros, quer roubar as almas dos habitantes de Whitechapel  para prender em um cubili animus e trazer os antigos vampiros para acabar com a paz do lugar. E ele pretende fazer isso na estreia de Penumbra 3, justamente no dia em que o cinema vai estar lotado de jovens.

 

Os vampiros de My Babysitter’s a Vampire conseguem andar no sol, mas precisam usar óculos escuros e no caso de Sarah, que é uma novata, tem 28 dias para se alimentar de sangue humano ou o seu corpo morre de verdade para sempre. Daí a pressa para acabar com os vampiros, rola um clima entre Ethan e Sarah que fazem um casal bem fofinho.

Para completar, Ethan descobre que é um vidente e Benny um bruxo, descendente de uma linha de feiticeiros que está prometido para uma coisa grandiosa. Dispostos a salvar a cidade e não deixar Jesse seguir com o seu plano doentio, Ethan e seus amigos se metem em uma luta contra vampiros muito perigosa, com direito a sabres de luz a lá Star Wars (só quem viu o filme vai entender haha).

Minha babá é uma vampira é mais um filme da safra de modinha de vampiros de 2010. É um filme de terror e sobrenatural para o público infantojuvenil, mas não deixa de ser uma comédia indicada para todas as idades. As confusões entre Ethan, Benny e Rory são hilárias. Eles são super nerds e muito atrapalhados! A história tem um pé no trash por conta dos efeitos especiais (estamos falando da Disney né?), mas de um jeito legal e não apelativo. O filme faz várias referências a Crepúsculo e várias outras obras que seguem a linha sobrenatural- vampiro, já que Penumbra 3 é uma sátira a saga. (A história de Penumbra 3 gira em torno de uma garota comum que se apaixona por um vampiro).

Depois do sucesso, o filme virou série e conta com duas temporadas. Mas isso é um assunto para outro post.  Se você curte um filme no maior estilo teen, meio Goosebumps, meio High School musical nerd sombrioterror Disney e “aquele clima de tudo pode acontecer”, Minha babá é uma vampira é o título certo. Corre que o filme e a série estão disponíveis no Netflix (e corre mesmo, porque vire e mexe, eles tiram do ar haha).

Castelo do Medo

Em Castelo do Medo, depois de passar por alguns problemas financeiros, a família Sands descobre que herdou um antigo castelo na Romênia. Sem melhores opções, David e seus filhos, Hunter e Jordan, se mudam para a misteriosa cidade de Wolfsberge. Isto é extremamente excitante para o filho mais novo que é obcecado por monstros. E ele não irá se desapontar. A partir daí algumas coisas começam a se transformar na família, principalmente com sua filha mais velha, Jordan Sands.

 

Estrelado por Victoria Justice e produzido pela Nickelodeon, Castelo do Medo (The Boy Who Cried Werewolf  no título original) conta a história da família Sands que é liderada pelo pai, David e passa por problemas financeiros. Ele tem dois filhos: Hunter e Jordan. O primeiro é o mais novo e viciado em terror, ocultismo e seres sobrenaturais, enquanto Jordan é a típica filha certinha, nerd, vegetariana e tem uma queda pelo cara mais popular da escola. Clichê, eu sei. Desde a morte da mãe, Jordan vem ajudando o pai com os afazeres domésticos e cuidando do irmão. Só que além dos problemas financeiros, David enfrenta outra adversidade. Por conta do comportamento de Hunter que anda sem limites  e fazendo várias pegadinhas na escola, ele vem tendo dor de cabeça para impor regras ao filho. Hunter não se conformou com a morte da mãe e nem aceita que seu pai siga em frente. Porém tudo muda quando um homem misterioso deixa um envelope na frente da casa da família e muda suas vidas.

Acontece que a mãe das crianças recebeu uma herança que por consequência é deles. A família Sands descobre que herdaram um antigo castelo na Romênia, na misteriosa cidade de Wolfsberge e partem para o lugar dispostos a descobrir mais sobre suas raízes. O castelo pertencia ao Tio avô Dragomir, que faleceu em um acidente. Desde a sua morte, o local é cuidado pela Madame Varcolac que era braço direito dele.

Não é porque não acredita que não é verdade

Lançado em 2010 – (o filme faz parte de uma série de séries e filmes que surgiram no boom do sobrenatural no ano de 2010. Esse ano rendeu uma safra muito boa. Vamos falar disso em outro post.) – o filme tem uma pegada sombria, dark e é repleto de mistérios e enigmas. O visual da história é lindo, as produções da Nick nunca decepcionam. P.s: Eles são um dos meus canais favoritos. 

Assim que chegam ao lugar, Hunter e Jordan percebem que tem algo errado naquele castelo. Hunter descobre que chegaram na época do Festival Wolfsberge Moonlight Mania, época em que a fera de Wolfsberge aparece para os espectadores em uma noite de lua cheia. O garoto se amarra na ideia e se envolve em várias confusões ao lado da irmã que também não fica atrás, já que está entediada longe das amigas e da sua rotina. Para completar, a governanta é sinistra, eles escutam uivos o tempo todo e o castelo parece esconder muitos segredos.

A força do bando está no lobo e a força do lobo está no bando

O que a família Sands não sabia é que algumas pessoas estavam de olho no lugar. Como a imobiliária Paulina que demonstra interesse em David, o que Hunter não curte nem um pouco. A família fica dividida entre retornar para a cidade de origem ou permanecer na Romênia. No decorrer do filme, Hunter e Jordan descobrem que sua família têm muitos segredos, que o sobrenatural existe e que precisam lutar pelos campos de Wolfsberge, se quiserem que a luta do seu Tio Dragomir não tenha sido em vão. Eles compreendem que a fera de Wolfsberge não é apenas folclore local e uma guerra entre vampiros e lobisomens se inicia.

Apesar da temática sombria, a história também é muito divertida com direito a momentos engraçados, principalmente com os irmãos que se envolvem em muitas  aventuras. A Madame Varcolac  também rende momentos super divertidos na trama. A personagem dela é incrível! Eu não conseguia parar de rir quando descobri que o toque de celular dela era Hit me baby one more time da Britney Spears. Adoro músicas pops em filmes sobrenaturais haha  Aliás, Castelo do Medo é cheio de referências a cultura pop!

Castelo do Medo é um filme para todas as idades e muito leve. Se estiver interesse em assistir, corre que o filme ainda está disponível no Netflix.  O filme é perfeito para aqueles momentos sessão da tarde que você está afim de assistir um filme para se divertir. Coloca a pipoca no microondas e se joga.

 

Curiosidades sobre o filme:

– O nome da Madame Varcolac tem como origem a palavra romena “vârcolac”, que significa lobisomem.

– Enquanto pesquisava sobre o filme para esse post, descobri que a atriz que interpreta a Madame Varcolac é a Brooke Shields. A Brooke!!! A eterna mocinha de lagoa azul!!! Fiquei chocada. Ela atuou tão bem e está tão bem caracterizada que nem reconheci. Chocadaney!!!

– A Victoria Justice gravou a música Not Somebody Else que faz parte especialmente da trilha sonora do filme. Para ouvir, clique aqui.

– No final do filme tem um extra super engraçado que vão adorar. Assiste o filme até o fim, não dá pause e nem tira antes de dar umas boas gargalhadas com a “surpresinha”.

Faça seu pedido (Mandy Hubbard)

“Kayla McHenry está tendo o pior aniversário de dezesseis anos da história! E não é só porque ela é diferente. Fica difícil se divertir quando você está apaixonada pelo namorado da sua melhor amiga.

Na hora de assoprar as velinhas, Kayla faz um pedido: “Eu desejo que todos os meus desejos de aniversário se tornem realidade. Porque eles nunca se realizaram”.

Na manhã seguinte, ela acorda e vê um Meu Querido Pônei cor-de-rosa pastando em seu jardim. No dia seguinte, depara-se com um carregamento de chicletes de bolinha para um ano inteiro. E, então, um cara meio plastificado chamado Ken aparece e começa a segui-la por toda a cidade, a bordo de um conversível!

A cada dia, um novo desejo se torna realidade. Mas… isso PRECISA PARAR. Porque, quando fez quinze anos, Kayla desejou ganhar um beijo de Ben Mackenzie… E Ben, agora, é nada menos que o namorado de sua melhor amiga!”

Olá terráqueos, tudo bem? Que saudade de vocês, que saudade daqui!

Faz um longo tempo que não dou as caras no site. Pelas minhas contas foram quase sete meses de hiatus. Wow! Durante esse tempo, estava super enrolada com a faculdade que emendou um período de retorno da greve com mais um semestre, tcc e os freelas de revisão e leitura crítica que tenho feito. Quando o novo período da faculdade começou, prometi que continuaria a escrever, ler e postar, mas não foi isso que aconteceu. Acabei me envolvendo com as leituras da monografia, fiquei assistindo muitas séries, comi muita yakisoba, fiz novos amigos e decidi que daria um tempo para me dedicar. Mas é claro que também não deu certo haha. Agora estou de férias (eu tenho um mês) e decidi que vou continuar a escrever, ler, postar e vlogar sempre que possível e sem pressão. Eu senti muita falta desse universo e mesmo que, ainda envolvida com o tcc e suas leituras – que estão paradas, aliás – gosto de ler outros livros, escrever e aparecer por aqui. Ou seja, estamos de volta! Yeeeah!

Por causa do tcc, eu fiquei sem ler durante um tempo e com uma ressaca horrorosa. Mas nesse mês de Julho, fiquei sem internet e adivinha o que aconteceu? Isso mesmo, eu li muito, tipo demais! Eu li seis livros em um mês! Para alguém que não estava lendo nada, até que fui muito bem. E um desses livros que li, me diverti horrores e pensei que tinha que falar sobre ele com vocês. Porque sério, ele é incrível! O livro em questão é Faça seu pedido, da autora Mandy Hubbard da Editora Gutenberg. Uma amiga já tinha me indicado, mas não tinha dado muita atenção. Posso dizer que me arrependi amargamente de ter demorado tanto para ler! Faça seu pedido conta a história de Kayla McHenry, uma adolescente que na sua festa de 16 anos pede ao assoprar as velinhas que todos os seus desejos de aniversários se realizem. Ela só não contava que isso realmente fosse acontecer! Seu desejo de aniversariante se realiza e é aí que a loucura começa! Ela é surpreendida por um pônei cor de rosa, várias bolinhas de chiclete em seu quarto, Ann, a boneca trapinho e o Ken que surgem em carne e osso para atrapalhar ainda mais a sua vida.

Acontece que Kayla está com alguns problemas. Ela e sua melhor amiga Nicole andam afastadas agora que a amiga começou a namorar Ben, justamente o cara que ela gosta. E no meio disso tudo, tem que lidar com essa confusão dos desejos e não faz ideia de como resolver. O livro tem uma narrativa muito gostosa, a leitura é fluída e uma comédia das boas. Faça seu pedido é um livro que tem cara de sessão da tarde bem clichê, bem do tipo que eu amo. O flerte com a fantasia é um ponto interessante que torna a história ainda mais atrativa!

Eu virei a madrugada lendo (mais um ponto positivo, pois é possível ler de uma vez só) e gargalhei muito. O livro aborda muitas questões interessantes como amizade, lealdade, amor e relacionamento com os pais. Me identiquei em vários momentos e lembrei dos meus pedidos de aniversários e imaginei que louco seria se eles virassem realidade haha! Fiquei curiosa para ler outros livros da autora e indico para qualquer pessoa que assim como eu, ame comédias românticas, protagonistas fortes e engraçadas como a Kayla que é muito atrapalhada e não resistem a uma história açucarada. Vai por mim, é diversão garantida. Além do mais, o livro tem uma capa super gracinha e é uma daquelas histórias que a gente vai se lembrar pra sempre, com direito a várias referências disney’s. Cinco estrelinhas

Durante a leitura, vi a Kayla diversas vezes como a Selena Gomez (especificamente a Alex Russo de Os feiticeiros de Waverly Place, série que eu amo) e Dove Cameron como Nicole (atriz mega fofa de Liv e Maddie, outra série que eu adoro). Se alguém se interessar em fazer uma adaptação, seria uma ótima ideia hein? rsrs

Com amor, para Adam Sandler

Caro leitor, talvez você não saiba, mas sou muito fã do Adam Sandler. Na verdade, ouso dizer que ele é um dos meus atores preferidos de todos os tempos. Pode ser que a grande maioria discorde de mim, mas tem um brilhantismo nesse ator que me faz admirar os seus trabalhos, por mais patetas que alguns sejam. Adoro seus personagens losers, deslocados ou atrapalhados. O que torna uma comédia atraente é justamente por ser familiarizada com a realidade. E quanto de nós, somos assim? Por favor, né? E claro, também tem o fator “ele estrelou dois filmes que amo: Afinado no amor e o clássico Click. Passei grande parte da minha infância nos anos 90 assistindo e crescendo com os seus filmes. Adam me remete a uma parte maravilhosa da minha vida na qual a minha maior preocupação era ser tesoureira do fã clube das Spice Girls.

Pois então, na semana passada, fui ao cinema com o meu namorado assistir “Trocando os pés”, o mais novo filme do Adam. Eu já tinha lido uma entrevista do Sandler (só para os íntimos) em que comentava que “Trocando os pés” era um filme um pouco diferente dos outros que atuou. No qual pode exercer um pouco o lado dramático, o que não é muito comum nas tramas que participa.

Apesar do Djan – também conhecido como o meu namorado – não ter curtido e achado a trama “muito previsível”, eu amei! Trocando os pés não é o melhor filme do Adam, não tem o melhor roteiro e nem entrou para o meu top de filmes favoritos, MAS a história e as peripécias dos personagens me fizeram perder as horas, ter uma noite agradável e ser conquistada pelo enredo.

O filme conta a história de Max, um homem comum que herdou o ofício de sapateiro de seu pai e leva uma vida sem atrativos e poucas alterações. Tem uma mãe que já está muito velhinha e seu único amigo é o seu vizinho de trabalho, o barbeiro Jimmy. Até que um dia em que tudo dá errado, ele descobre uma máquina muito velha e escondida no subsolo do trabalho que pode salvar a entrega dos sapatos. Ele só não contava que ao colocar o sapato dos clientes, ficasse com a forma física do dono. A partir daí, são várias situações engraçadas e cômicas. Pausa para dizer que adoro quando comédias flertam com fantasia ❤

Apesar de encontrar um Adam Sandler mais velho e sério (pois é, a idade chega pra todo mundo), o filme é divertido e leve. O personagem Max se mete nas situações mais engraçadas e típicas de comédias americanas. E como não podia deixar de ser, o filme conta com a presença de alguns atores sensacionais como Dustin Hoffman e Steve Buscemi, que também atuou em O paizão. Se você também acompanha os filmes do Adam, vai perceber que ele costuma trabalhar com os mesmos atores. O Rob Schneider é um exemplo de ator que de vez em quando surge nos filmes de Sandler. Para quem não sabe, além de atuar, Adam também produz os seus próprios filmes e segundo o Adoro Cinema, a ideia para “Trocando os pés” surgiu de uma expressão, espécie de ditado que existe nos EUA que diz que “Você não conhece um homem de verdade até caminhar um quilômetro com os sapatos dele”. Ele também se inspirou no sapateiro perto de sua casa quando era criança.

No fim das contas, a história passa uma mensagem muito bonita, que é importante não desistir dos sonhos e nem perder a fé. E nem ter pena de si próprio e se desvalorizar como Max fazia diversas vezes em que era testado. Sim, isso é pra lá de clichê, mas vamos confessar que é uma delícia né?

Só sei que no final, Adam me fez sentir com sete anos novamente, na sala de estar da minha casa em um verão muito quente, cujo maior sonho era ser tão cool como a Drew Barrymore quando crescer.

Valeu Adam! Estava com saudade ❤