A casa do penhasco · A casa do penhasco - Agatha Christie · cultura pop · Editora L&PM Pocket · Histórias de Detetives · Mistério · Resenhas · Romance Policial · [Agatha Christie] · [Leitores] · [Literatura] · [Livros] · [Pretty Little Liars] · [Sara Shepard]

A casa do penhasco – Agatha Christie

“Adoro esses pequenos fatos curiosos. Dizem muita coisa. Eles nos mostram caminhos”.

A primeira vez que li Agatha Christie, tinha apenas 13 anos e foi amor à primeira vista. Já contei a minha experiência aqui no blog com os livros da escritora e é necessário dizer que sou super fangirl de suas obras. Agatha Christie tem o dom de escrever histórias intrigantes com finais surpreendentes e enredos muito bem construídos. O mais difícil para os seus leitores é descobrir a identidade do assassino do crime. Já perdi a conta de quantos livros da autora que li, mas só descobri o assassino de um deles depois de quase 13 anos lendo seus livros. Descobrir a identidade do vilão é aquele típico caso que acontece dentre um de um milhão haha. Mas esse post fica para outro dia.

Em A casa do penhasco publicado pela L&PM Pocket, temos o detetive Hercule Poirot que está passando as férias na praia com o seu parceiro, o detetive Hastings. Tudo seria perfeito, senão fosse pelo fato dos dois esbarrarem com uma jovem chamada Miss Buckley que conta para eles sobre as várias tentativas de assassinato que vem sofrendo nos últimos dias. Curioso, Hercule Poirot percebe que o mistério o chama, não perde tempo, cancela suas férias e se encarrega de descobrir o que se passa na misteriosa casa do penhasco. A partir daí, a história começa a ficar interessante. Poirot é um detetive inteligente, brilhante e tem um faro terrível. De repente, todos se tornam suspeitos. Da melhor amiga até os vizinhos de Miss Buckley. Mas por quê tentariam assassinar essa jovem? A situação aponta para um caminho, mas durante a leitura surgem outras direções. Jogo de intrigas, enigmas, mentiras e charadas sempre tão presentes na atmosfera de Agatha, se encontram nesse livro.

O mais interessante nas histórias da autora é que  “as coisas nunca são como aparentam”. Em seus livros, os personagens vão além das aparências, sempre há algo mais. Chegamos a conclusão de que todos no universo da Agatha Christie carregam segredos. E com mais segredos, mais pistas e verdades escondidas.

Elementos como o mistério e o suspense são o ponto alto da trama, o que faz com que o leitor fique preso a narrativa e não descanse enquanto o criminoso não for revelado. Hercule Poirot é um personagem fascinante que investiga a fundo quem poderia querer se livrar da garota. Enquanto Hastings é uma figura pra lá de engraçada com a sua inocência e bondade fora do comum, o que rende boas risadas no decorrer da trama. A relação dos dois é muito cômica. Hercule e Hastings possuem duas personalidades diferentes que complementam um ao outro e mesmo que o detetive bigodudo insista em chamá-lo de cabeça dura, acredito que não chegaria ao veredito sem a ajuda do amigo.

Outro destaque no enredo de Agatha é a presença do psicológico. Os crimes estão sempre ligados a algum motivo que é psicologicamente explicado. Nenhum crime é à toa, tudo tem um porquê. Em A casa do penhasco, a autora não deixou a desejar no final. As revelações conseguem sempre ser impressionantes por conta dos plot twists que viram a trama de cabeça para baixo levando o leitor a loucura, assim como nessa história. Ela consegue enganar o leitor direitinho com uma resolução coerente e lúcida.

Mesmo não esperando o tipo de desfecho que há em A casa do penhasco, fiquei de cara com o final. Como não podia deixar de ser, o livro entrou para a lista dos meus favoritos. Agatha é o tipo de autora que independentemente de descobrir o final ou não, nunca vai perder a graça. E seus leitores sempre vão ler e seguir as suas histórias.

Durante a leitura, pude notar um paralelo com a série de livros Pretty Little Liars que também virou série de TV. Tenho a sensação de que a autora Sara Shepard se inspirou em Agatha para escrever as suas histórias. Não sei se esse é o caso, mas é uma feliz coincidência de se ver. Prova viva de que a obra da escritora vai sempre influenciar os outros escritores e estará mais viva do que nunca na cultura pop.

Vocês já leram esse livro? Me contem nos comentários. Espero que estejam curtindo os posts quase todos os dias. Estou amando poder retornar e produzir coisas novas para o blog. Como podem ter observado, tem muita coisa mudando para melhor por aqui. Quero que o site fique cada vez mais a minha cara e acho que vocês estão conseguindo captar isso ❤ Obrigada pelos comentários, curtidas e compartilhamentos. Foi por vocês que voltei ❤

Beijos,

Ju.

P.s: Essa é uma das resenhas que recuperei do meu antigo site e não é que ficou bacana? ❤

Contos · Editora Leya · Kelly Link · O estranho mundo de Zofia e outras histórias · O estranho mundo de Zofia e outras histórias (Kelly Link) · Resenhas · Surrealismo mágico · [Leitores] · [Literatura] · [Livros]

O estranho mundo de Zofia e outras histórias (Kelly Link)

Já fazia muito tempo que queria falar de um dos meus livros favoritos da vida para vocês. Li O estranho mundo de Zofia e outras histórias da Kelly Link, publicado pela Editora Leya há alguns anos e ele é incrível por 1.234.234 de motivos. Lembro que não consegui tirar os olhos dele desde a primeira que o vi, justamente por causa dessa capa maravilhosa. Quando vi a recomendação de Neil Gaiman e descobri que o livro tinha uma vibe meio Alice no País das Maravilhas, Sandman e Noiva – Cadáver, não pensei duas vezes e adquiri.

Primeiro você precisa saber que O estranho mundo de Zofia e outras histórias é um livro de contos e eles não são muito comuns. Acontece que Kelly Link trabalha com o surrealismo mágico, gênero que Neil Gaiman gosta de brincar e digamos que é necessário estar “um pouco fora da casinha” para entrar nas histórias desse livro. Mas depois que iniciado, não tem volta, porque a leitura é divertida e muito viciante.

Os contos seguem a linha do surrealismo fantástico com pintadas de humor negro. Pense em “Os fantasmas se divertem”,” O estranho mundo de Jack” e adicione doses de fantasia, filmes trash e filmes B dos anos 80. Foi assim que O estranho mundo de Zofia foi construído.

O livro começa com o conto chamado “A bolsa mágica”. Na história somos apresentados a Zofia (a do título) e morremos de rir com ela. Essa personagem tem todas as características que mais amo em personagens: Zofia é uma avó meio louca e mística que conta histórias sem noções do lugar que veio para a neta. Extremamente surpreendente. A gente termina o conto com o coração quentinho, com vontade de saber mais sobre e felizes de poder ter conhecido Zofia.

Outro conto que chamou a minha atenção foi “Animais de Pedra”. É bem perceptível o quanto o livro Alice no país das maravilhas foi uma grande inspiração para a autora. Diria até que Kelly quis fazer uma homenagem e foi muito feliz ao fazer isso. Nesse conto, coelhos gigantes ameaçam e protegem a família que reside na casa, onde aos poucos seus objetos e eles próprios começam a ficar “assombrados”.  Talvez fique confuso para quem ainda não leu, mas depois de ler esse conto, vocês vão rir e entender do que essa expressão se trata lol.

Apesar de ter um enredo extremamente fantástico, Kelly Link compõe os personagens de uma forma simples, ao mesmo tempo de forma única e comum, que faz com que a gente se identifique, como por exemplo, no conto “Magia para iniciantes” que é sem dúvidas o meu conto favorito de todo o livro e narra a história de um grupo de amigos apaixonados por um programa de TV em uma emissora pirata no qual a personagem principal é uma raposa e ninguém nunca viu os atores. Esse programa passa todos os dias em um canal diferente e eles precisam se aventurar para descobrir em que canal se passa e etc. É muita loucura, mas uma loucura gostosa com aquele clima de amizade e descobertas. Outro conto favoritado é o“O Hortlak” que me fez lembrar os filmes dos anos oitenta e os personagens sem noção daquela época: jovens descompromissados e em busca de aventuras e adrenalina. Várias vezes enquanto lia o livro, as histórias me lembravam um cenário meio apocalíptico e lúdico tipo o Apocalipse Zumbi.

Quando terminei de ler, bateu aquela saudade e senti muita vontade de ler histórias estendidas de alguns contos como “Mafia para iniciantes”,  “A bolsa mágica” e “O Hortlak”. O universo que Kelly Link cria é muito rico, desconstruído e a autora acaba trazendo uma nova linguagem e roupagem para algumas mitologias. E seria muito interesse ler mais a respeito disso. Me identifiquei muito com a escrita da autora, pois achei a sua escrita e atitude originais. Curto muito escritores que se desafiam e fogem do lugar comum. Acho que falta muito isso em todos os cenários e gêneros da literatura. Existe um enorme espaço e devemos nos aproveitar isso. O estranho mundo de Zofia e outras histórias é uma viagem do início ao fim. É um livro de contos altamente psicodélicos que não seguem a narrativa comum e que foi escrito para ser assim. Aqui não vai encontrar mocinho, vilão e um caso que deve ser desvendado. As situações e histórias se desenrolam de forma completamente diferente e… estranha!  Essa é a essência de O estranho mundo de Zofia.

Li muitas resenhas e poucas pessoas conseguiram captar o espírito da coisa. Normal. Acredito que muitos leitores estejam acostumados com histórias que possuam início, meio e fim e mocinhos e vilões.  Não é o caso desse livro. Para ler um livro de surrealismo mágico é necessário que o leitor desconstrua a noção de narrativa que possui e deve se abrir um pouco para uma coisa nova e mágica. Que fique claro, ninguém é obrigado a ler, mas fica a dica para quem quer conhecer.

Se você é um leitor que não curte leituras ou histórias inovadoras, vá preparado para ler o livro. Te garanto que a história é extremamente diferente e encantadora. Mas se você é um leitor que como eu, não tem medo de se arriscar, que gosta de conhecer coisas novas, Neil Gaiman, Tim Burton, filmes trash e anos 80. Olha, acho que vai pirar!O que mais me atraiu nesse livro sem dúvidas é que a autora é dona de uma personalidade e criatividade ímpar. Quero ser como Kelly quando crescer. Ela roubou o meu coração e minha alma!

A Kelly tem um conto em “O presente do meu grande amor” que ainda não li e infelizmente não têm outros materiais por aqui. No Goodreads é possível encontrar vários e o perfil da autora. Quem quiser me adicionar por lá, fique a vontade. Estou louca para ler Stranger things happen. Em inglês mesmo, porque só se encontra disponível assim.

Espero que tenham gostado do post e quero saber o que acharam, me fale nos comentários. Beijo grande e até o próximo post.

Beijos,

Ju.

P.s: Essa resenha foi postada no meu antigo blog e no meu skoob, achei ela muito boa e decidi reproduzir aqui. Mas claro, com algumas atualizações por conta das minhas releituras desse livro 🙂 

Bem - vindo à casa dos mortos · Brian James · Cidade Fantasma · Galera Record · Líderes de torcida · Louras Zumbis · Louras Zumbis (Brian James) · Resenhas · Sobrenatural · Welcome to dead house · Zumbis · [Goosebumps] · [Leitores] · [Literatura] · [Livros] · [R. L. Stine] · [Terror]

Louras Zumbis (Brian James)

Atenção, essa resenha possui spoilers. Se não leu, volta depois. Se já leu ou quer saber mesmo assim, leia por sua conta e risco. 

Já fazia muito tempo que queria ler Louras Zumbis. Vários booktubers e blogueiros que sigo e possuem um gosto literário parecido com o meu, tinham falado tanto que coloquei na cabeça que tinha que ler de qualquer jeito por dois motivos: 1) zumbis e 2) cidades pequenas. Depois de ver a resenha do Rubens do Ler Vicia, tive certeza e comprei por 10 golpinhos na amazon.

Louras Zumbis narra a história de Hannah Sanders, aluna do 2º ano que vive mudando de cidade, por conta da vida financeira do pai que os impedem de se fixarem e criarem laços nos lugares. A história se inicia quando os dois se mudam para Maplecrest, uma cidadezinha pequena que nunca ouviram falar.  Ao chegar na cidade, Hannah se depara com um local repleto de pessoas muito bonitas e várias casas com placas de “vende-se”. A garota observa em seu primeiro dia de aula que as populares são louras, lindas, bem sucedidas e todas têm um nome que começa com a letra m: Morgan, Meredith, Miranda e etc. Elas são líderes de torcida e chamadas de “Esquadrão da morte” como Lukas, seu único amigo da escola conta. E o garoto alerta para que ela tome cuidado, pois são muito perigosas. Com o passar do tempo, o amigo conta que as líderes de torcida são zumbis. A personagem é claro ignora os avisos do amigo e isso dá início a uma reviravolta na trama.

Em diversos momentos, Louras Zumbis me lembrou a série de livros Goosebumps, mas precisamente Bem – vindo à casa dos mortos. Os dois se passam em uma cidade pequena e estranha e tem esse clima meio apocalíptico, cheio de suspenso. São cenários muito weird e falam sobre zumbis. Uma das coisas que mais gostei do livro foi a forma como Brian conduziu e desenvolveu a história. Ele deu espaço para a criação da atmosfera que foi muito importante para a ambientação de Louras Zumbis por conta desse cenário esquisito e o desenvolvimento dos personagens, o que fez com que me envolvesse com os personagens, o que foi ótimo e me fez duvidar várias vezes da identidade das meninas zumbis. Eu queria chacoalhar Hannah e abraçar Lukas. Em vários momentos pensei que ela não merecia a amizade dele, pois caramba, que personagem teimosa. Daí lembrei que Hannah é adolescente e o que esperar nessa idade, se não apenas a preocupação com o seu próprio mundo né? #normal. Isso sem contar o romance com o Greg, que foi total perda de tempo e foi a única coisa que não gostei na história. Outro ponto que vale a pena ressaltar e foi um dos pontos mais altos da trama, foi o final destruidor que me deixou dividida. Que plot twist foi aquele??? Metade de mim odiou e a outra metade amou. Odiei ver o Lukas morrer, pois me apaguei a ele. Lukas era o personagem consciência, o único que prestava naquele lugar e me senti idiota por não ter notado o final desde o inicio. Era claro que ele morreria, só eu que não quis ver. Ao mesmo tempo, achei incrível a jogada que o autor fez ao colocar um final destruidor e abrindo gancho para continuações e infinitas possibilidades.

Brian James fugiu do lugar comum e fez isso de forma impecável. É claro que notei as sacadas e tiradas que ele fez, como adaptar o “apocalipse zumbi” em uma cidade pequena e fantasma. Maplecrest é a própria alegoria e metáfora de tramas de zumbis, assim como a cidade de Darkfalls de “Bem – vindo à casa dos mortos” do R. L. Stine que também criou o apocalipse zumbi em uma cidade pequena e estranha. Essas cidades representam o vazio após os ataques, o que resta depois de toda a guerra. Esse foi um dos pontos que me faz amar Louras Zumbis que possui uma narrativa eletrizante. Entrou para a lista dos meus livros favoritos e me tirou de um bloqueio literário e criativo de semanas. Leiam esse livro e não se esqueçam de comentar. Quero saber o que acharam 🙂

Beijos,

Ju

A hora do arrepio · Contos de Terror · Halloween · Halloween em noite de lua cheia (A hora do Arrepio) - R. L. Stine · Resenhas · SBT · Sobrenatural · The Nightmare Room · TV · [Anos 90] · [Editora Rocco] · [Leitores] · [Literatura] · [Livros] · [R. L. Stine] · [Séries] · [Terror]

Halloween em noite de lua cheia (A hora do Arrepio) – R. L. Stine

 Tristan acha seu novo professor, Sr. Delua, muito estranho.E está prestes a descobrir o quanto estranho ele é ao ser convidado a participar da sua festa de Haloween… onde todas as portas e janelas são trancadas com barras de ferro… E uivos de lobisomem ecoam por toda a casa!

Olá, sentiram a minha falta? Depois de um longo tempo longe por um turbilhão de motivos, estou aqui de volta com o primeiro post do ano *–* Desejo todos a vocês um BIG 2017 recheado de paz, saúde, amor, felicidades e luz. E como não poderia deixar de ser, mesmo enrolada com TCC e diversas outras coisas, trouxe um post sobre um livro super gostosinho de ler. E se preparem, porque vão ter mais posts durante a semana! Estou na reta final do meu tcc, mas decidi – para me distrair – aparecer por aqui e atualizar com os livros que já li e séries que venho assistindo. Vocês vão adorar as novidades que vamos ter esse ano *O*

A hora do Arrepio (The Nightmare Room) é uma série de livros do escritor R. L. Stine, que muitos de vocês devem conhecer. Stine é autor de Goosebumps, Rua do Medo, The Haunting Hour e Fantasmas à solta. Suas histórias também inspiraram a criação da série Clube do Terror (Midnight Society) que ficou muito famosa nos anos 90 e passava a tarde na TV Record. O autor tornou-se famoso, pois seus livros venderam mais de 300 milhões ao redor do mundo e por conta disso, entrou no guinness book. Antes de Harry Potter fazer história, R. L. Stine fez um marco na literatura.

 Suas séries faziam tanto sucesso que foram adaptadas para a TV e recentemente para o cinema. A série de A Hora do Arrepio passava nas tardes do SBT e contou apenas com 13 episódios. A série de livros teve 15 livros publicados, 11 desses sendo publicados pela Editora Rocco no Brasil. Halloween em noite de lua cheia é um dos meus favoritos da série e possui um episódio que vocês podem assistir no youtube (está no final do post). Grande parte dos livros da série foram adaptados para a tv e com isso, tiveram que mudar algumas coisas – o que é super comum nas adaptações -, mas a essência das histórias ainda são as mesmas.

 Se você nunca leu ou assistiu alguma coisa do universo do R. L. Stine, primeiro tem que entender que o R. L. Stine trabalha com terror psicológico e que escreve para o público infantojuvenil. Ele também têm livros de terror para adultos, mas seu público alvo maior são os teens. E essa é uma das características mais ricas de suas histórias. Nelas, vão encontrar escolas, famílias, crianças, casais de namorados, jogadores de basquete se envolvendo em várias aventuras com monstros, zumbis com muito terror. E claro, sem deixar a diversão de lado!

E em Halloween em noite de lua cheia não poderia ser diferente. Nessa história, temos uma turma de amigos: Rosa, Tristan, Ray e Bella que são convidados pelo misterioso professor Sr. Delua para a festa de Halloween na casa dele. O problema é que o professor é novo na escola e já parece ter uma implicância com esses alunos. Eles ficam mais ressabiados ainda ao descobrirem que os outros alunos da escola não foram convidados. Até o filho do Sr. Delua, Michael tenta convencê-los a não irem. Para completar, o lugar onde moram está sendo alvo de ataques de algum tipo de animal que vem assassinando os bichinhos de estimações da vizinhança. Mas os amigos resolvem não dar corda e acabam embarcando em uma noite misteriosa e cheia de reviravoltas.

O que notei – tanto na história quanto no episódio – é que as partes pesadas da história permaneceu, o que contribuiu para o clima soturno do livro. Mesmo escrevendo para o público infatojuvenil, Stine deixa o teor mais sombrio em suas histórias – sua marca registrada. Halloween assim como grande parte dos seus livros, possui um final intrigante e muito criativo. A leitura é leve, fluída e muito envolvente. É um livro em que é possível ler de uma vez só. Outro detalhe sobre a série é que foi muito influenciada por Twilight Zone com sobrenatural/ terror e ficção científica como tema. Mas isso aí é assunto pra outro post. 

Para a galera que curte terror psicológico com  uma linha mais leve para o público infantojuvenil, as histórias de R. L. Stine sempre serão uma ótima pedida. Assistam o episódio baseado no livro e não esqueçam de me contar o que acharam ❤

Alô alô tem alguém aí #NaNoWriMo 2016 · Diário de uma escritora outsider · NaNoWriMo · [Leitores] · [Literatura] · [Livros]

Alô, alô, tem alguém aí? #NaNoWriMo 2016

Uma nova era se inicia no Juliana Skwara. É, eu sei, sumi. É, não fiz a programação de Halloween. Sei que não adianta  pedir desculpa, mas peço perdão mesmo assim. Em minha defesa, comemorei o Dia das Bruxas e compartilhei muitos comentários nas minhas redes sociais. Seja no twitter, fanpage, instagram ou snapchat (juskwara). Então, se você não me segue ainda, está na hora de mudar isso =)

aliens-amazing-art-batman-Favim.com-3691318.jpg

No meio desse tempo que estive afastada, passei por algumas crises e dúvidas. Uma parte de mim achava que não iria mais escrever em blogs, outra queria dar um tempo para o tcc e uma outra (e a maior parte poderosa) queria escrever para se distrair. E adivinha quem venceu?

Um dos motivos pelo qual sumi tem nome e sobrenome: meu tcc. É, estou no último período de faculdade e se nenhum professor me reprovar (ou alguma greve explodir) me formo em 2016. 2. Vocês devem estar pensando: se ela está em fase de TCC por que está aqui? Bem, no meio dessa descoberta sobre monografias descobri coisas muito importantes. Eu precisava escrever o meu tcc e por mais que tenha escolhido um tema que ame – Sir Edgar Allan Poe – isso é bem complicado. Quando você começa a escrever um tcc, meio que entra em colapso. Demorei muito para escrever alguma coisa, cerca de 5 meses. Isso aconteceu porque meu tema inicialmente seria sobre a relação entre Poe e Baudelaire e por mais que exista uma ligação entre os dois, não consegui encaixá-los. Eu tenho uma intimidade muito maior com o Poe do que o Baudelaire e nesse tempo encontrei muito material sobre ele (mas isso é um assunto para outro post). O fato é que me senti muito culpada por estar procrastinando e sim, eu sou uma das maiores procrastinadoras do universo. Por exemplo, enquanto escrevo, estou adiando um trabalho de Poesia Portuguesa 3 que tenho que entregar e um conto que estou com a deadline apertada. Para completar, passei a dar aulas particulares à noite. Essa oportunidade surgiu em um momento maravilhoso já que a grana está apertada. E eu não pretendo voltar a ser professora. Isso é uma coisa encerrada, que ficou para trás na minha vida. É apenas um trabalho momentâneo por questões financeiras. Pode parecer que estou sem tempo e isso é meio que uma verdade, mas estou aos poucos aprendendo a lidar com a disciplina.

Voltando ao TCC, só passei a ficar mais calma quando descobri através do marido da minha melhor amiga que faltando dois meses para entregar a monografia dela, a bonita começou a fazer. Ué, como assim? Fiquei bastante surpresa com o comentário porque a minha bff é uma das pessoas mais inteligentes que conheço em todo o universo. Ela sempre tirou notas altas na escola e inclusive na faculdade, na qual era super nerd. Fiquei mais surpresa ainda quando descobri que uma galera que vai se formar junto comigo nem começou a fazer. Tá, eu sei que é errado se comparar com os outros, mas isso ajudou a me tranquilizar pelos seguintes motivos: já tenho o primeiro capítulo pronto e já estou delineando o segundo. Quero muito terminá-lo ainda esse mês para poder começar o terceiro. Só não terminei ainda de escrever o segundo, pois tenho muitas leituras que não estão em dia. Infelizmente elas são muito necessárias. As leituras teóricas, apesar de chatas, realmente são importantes para um trabalho acadêmico. Porque sem elas, suas anotações e seus textos rendem apenas um artigo ou mini artigo. Mais surpreendente ainda dizer que estou curtindo muitas essas leituras. É assustador, né? Quem diria! O único motivo de estar atrasada com elas é porque todas as minhas leituras estão em PDF e ando tendo muita dor de cabeça por ler na frente do computador/ celular. Foi aí que decidi adquirir um leitor digital. Estou ainda na dúvida em qual comprar, mas estou aguardando a Black Friday para fazer isso. Vocês tem alguma indicação para me dar? Se tiverem, podem falar. Vai ser de muita ajuda.

0bfb277db9e64e901fdb15658164c983.png

                          Esse é o estado que me encontro nesse momento

E é claro que vocês devem imaginar que não estou lendo nada fora das minhas leituras acadêmicas. Gostaria muito mesmo de estar, mas meu ritmo de leitura anda super lento e aceitei que vai ser assim até terminar o TCC. O único livro que estou lendo sem ser ligado ao Poe é Welcome To Night Vale. É um livro incrível que estava de olho há um tempo e adquiri com um super desconto na Estante Virtual. O livro é muito louco, meio fantasia urbana com ficção científica. Seria algo que o Neil Gaiman escreveria com toda certeza. Nem cheguei na metade ainda, primeiro porque estou dividindo meu tempo de leitura com o tcc e segundo, porque não quero terminar. Fazia tempo que não lia uma coisa tão louca! Falo mais sobre o livro em um post só para ele. Porque com toda certeza vai ter!

Agora vamos ao interessa. Como muitos sabem, todos os anos participo do NaNoWriMo que é  National Novel Writing Month ou conhecido como Mês Especial para escrever um romance. É um desafio criado para escritores alcançarem 50 mil palavras  em um mês (podendo terminar um livro ou não). Ano passado participei e cosegui vencer o desafio! Já falei diversas vezes a respeito disso no site. Por conta das minhas aventuras acadêmicas, pensei seriamente em não participar esse ano. Mas com o tempo, conforme fui surtando decidi escrever para me distrair. Por isso estou de volta ao site e ao NaNoWriMo. Escrever pode ser estressante na maioria das vezes por conta das olheiras e dores nas costas, mas escrever me faz viva. É uma coisa louca, que não dá pra explicar e um remédio para a minha mente em tempos tão estressantes. É por isso que estou participando com “Apartamento 26”. 

A história desse livro é um tanto curiosa. Surgiu meio que do nada, quando estava dormindo no carro enquanto meu namorido dirigia e eu voltava de um evento que participei com Maratona Do Terror. Não quero falar muita coisa ainda sobre ele (mas se vocês quiserem posso até postar), mas basicamente é uma história de mistério, suspense e crimes com toques sobrenaturais inspirado em filmes noir, preto e branco, romances da Agatha Christie,  Poe e Twilight Zone. Quando comecei a escrever, notei de imediato que possivelmente Apt 26 pode ser um eco do meu TCC. Quem sabe? Pelo menos a minha monografia vai deixar alguma coisa de bom, não é mesmo?

giphy.gif                         *O gif do sapinho me representa*

Para poder participar, aceitei que não escreveria todos os dias e teria que ir com calma. Sendo assim, escrevo boa parte da trama em meus caderninhos e faço roteiros para não me perder. Não faço ideia se vou chegar as 50 mil palavras. Eu queria muito, mas estou preferindo curtir e viver o momento do que me estressar com o desafio. De forma que estou no momento com 21. 760 palavras. Se quiserem me adicionar no site do NaNo para fofocarmos muito sobre o nosso processo de criação é só chegar mais.

O motivo para ter postado esse texto imenso é para avisar que estou de volta e prometo não abandonar mais o site. Vamos continuar com as postagens sobre filmes, séries, livros e cultura gótica. E com acréscimo de posts desse tipo e também posts com as minhas playlists ( por que não?).

Obrigada por não desistirem de mim (notei que mesmo longe do site, o apontador mostrou muitas visitas), então UAU. Espero que continuem comigo e me contem o que andam aprontando, se estão participando do NaNoWriMo ou já em clima de final de ano (como eu queria estar).

Mil beijos e vida longa e próspera,

Ju.

Apocalipse · Contos · Contos de Arrepio · Contos de Terror · Cultura Gótica · Dark · Dia das Bruxas · Fox Kids · Halloween · Maratona do Terror: Perdidos - Contos de Arrepio · Mês Especial do Halloween · Mistério · Misticismo · Nickelodeon · Resenhas · Se assuste comigo · Seja bem - vindo mês especial do Halloween · Serial Killer · Tags · TV · [A ficção vira realidade] · [Anos 90] · [Disney] · [Filmes] · [Leitores] · [Literatura] · [Livros] · [Músicas] · [Séries] · [Terror] · [Top]

Seja bem – vindo mês especial do Halloween

Ladies and Gentlemans, é com muita alegria que anuncio que está aberto o mês especial do Halloween *O*

Vocês sabem que essa é a minha época favorita do ano – não é a toa que me consideram a louca do dia das bruxas – e estou SUPER animada para todas as novidades e a programação especial desse mês!

Podem se preparar, pois teremos muitos posts e vídeos com direitos a filmes, séries, playlists, muitos livros, muita Maratona Do Terror: Perdidos – Contos de Arrepio – acá, o meu livro – e algumas surpresinhas ❤

Aproveita e vem junto comigo! Todos estão convidados para participar da programação especial do mês do dia das bruxas! Vem comigo 👻👽💀

Me sigam nas redes sociais para ficarem por dentro de tudo  🎃

Fanpage: https://www.facebook.com/julianaskwara/

Twitter: https://twitter.com/julianaskwara

Youtube: https://www.youtube.com/channel/UCXqNaSCObaNzawn8Uwd9LQw

Instagram: https://www.instagram.com/juskwara/

Snap: juskwara

 

 

 

Comédia adolescente · comédia romântica · cultura pop · Editora Gutenberg · Faça seu pedido · Faça seu pedido (Mandy Hubbard) · Mandy Hubbard · Nickelodeon · Resenhas · Teen · [Comédia] · [Disney] · [Filmes] · [Leitores] · [Literatura] · [Livros] · [Séries]

Faça seu pedido (Mandy Hubbard)

“Kayla McHenry está tendo o pior aniversário de dezesseis anos da história! E não é só porque ela é diferente. Fica difícil se divertir quando você está apaixonada pelo namorado da sua melhor amiga.

Na hora de assoprar as velinhas, Kayla faz um pedido: “Eu desejo que todos os meus desejos de aniversário se tornem realidade. Porque eles nunca se realizaram”.

Na manhã seguinte, ela acorda e vê um Meu Querido Pônei cor-de-rosa pastando em seu jardim. No dia seguinte, depara-se com um carregamento de chicletes de bolinha para um ano inteiro. E, então, um cara meio plastificado chamado Ken aparece e começa a segui-la por toda a cidade, a bordo de um conversível!

A cada dia, um novo desejo se torna realidade. Mas… isso PRECISA PARAR. Porque, quando fez quinze anos, Kayla desejou ganhar um beijo de Ben Mackenzie… E Ben, agora, é nada menos que o namorado de sua melhor amiga!”

Olá terráqueos, tudo bem? Que saudade de vocês, que saudade daqui!

Faz um longo tempo que não dou as caras no site. Pelas minhas contas foram quase sete meses de hiatus. Wow! Durante esse tempo, estava super enrolada com a faculdade que emendou um período de retorno da greve com mais um semestre, tcc e os freelas de revisão e leitura crítica que tenho feito. Quando o novo período da faculdade começou, prometi que continuaria a escrever, ler e postar, mas não foi isso que aconteceu. Acabei me envolvendo com as leituras da monografia, fiquei assistindo muitas séries, comi muita yakisoba, fiz novos amigos e decidi que daria um tempo para me dedicar. Mas é claro que também não deu certo haha. Agora estou de férias (eu tenho um mês) e decidi que vou continuar a escrever, ler, postar e vlogar sempre que possível e sem pressão. Eu senti muita falta desse universo e mesmo que, ainda envolvida com o tcc e suas leituras – que estão paradas, aliás – gosto de ler outros livros, escrever e aparecer por aqui. Ou seja, estamos de volta! Yeeeah!

Por causa do tcc, eu fiquei sem ler durante um tempo e com uma ressaca horrorosa. Mas nesse mês de Julho, fiquei sem internet e adivinha o que aconteceu? Isso mesmo, eu li muito, tipo demais! Eu li seis livros em um mês! Para alguém que não estava lendo nada, até que fui muito bem. E um desses livros que li, me diverti horrores e pensei que tinha que falar sobre ele com vocês. Porque sério, ele é incrível! O livro em questão é Faça seu pedido, da autora Mandy Hubbard da Editora Gutenberg. Uma amiga já tinha me indicado, mas não tinha dado muita atenção. Posso dizer que me arrependi amargamente de ter demorado tanto para ler! Faça seu pedido conta a história de Kayla McHenry, uma adolescente que na sua festa de 16 anos pede ao assoprar as velinhas que todos os seus desejos de aniversários se realizem. Ela só não contava que isso realmente fosse acontecer! Seu desejo de aniversariante se realiza e é aí que a loucura começa! Ela é surpreendida por um pônei cor de rosa, várias bolinhas de chiclete em seu quarto, Ann, a boneca trapinho e o Ken que surgem em carne e osso para atrapalhar ainda mais a sua vida.

Acontece que Kayla está com alguns problemas. Ela e sua melhor amiga Nicole andam afastadas agora que a amiga começou a namorar Ben, justamente o cara que ela gosta. E no meio disso tudo, tem que lidar com essa confusão dos desejos e não faz ideia de como resolver. O livro tem uma narrativa muito gostosa, a leitura é fluída e uma comédia das boas. Faça seu pedido é um livro que tem cara de sessão da tarde bem clichê, bem do tipo que eu amo. O flerte com a fantasia é um ponto interessante que torna a história ainda mais atrativa!

Eu virei a madrugada lendo (mais um ponto positivo, pois é possível ler de uma vez só) e gargalhei muito. O livro aborda muitas questões interessantes como amizade, lealdade, amor e relacionamento com os pais. Me identiquei em vários momentos e lembrei dos meus pedidos de aniversários e imaginei que louco seria se eles virassem realidade haha! Fiquei curiosa para ler outros livros da autora e indico para qualquer pessoa que assim como eu, ame comédias românticas, protagonistas fortes e engraçadas como a Kayla que é muito atrapalhada e não resistem a uma história açucarada. Vai por mim, é diversão garantida. Além do mais, o livro tem uma capa super gracinha e é uma daquelas histórias que a gente vai se lembrar pra sempre, com direito a várias referências disney’s. Cinco estrelinhas

Durante a leitura, vi a Kayla diversas vezes como a Selena Gomez (especificamente a Alex Russo de Os feiticeiros de Waverly Place, série que eu amo) e Dove Cameron como Nicole (atriz mega fofa de Liv e Maddie, outra série que eu adoro). Se alguém se interessar em fazer uma adaptação, seria uma ótima ideia hein? rsrs

99 fear street · A hora do arrepio · Clube do terror · Contos de Arrepio · Contos de Terror · Cultura Gótica · cultura pop · Dark · Fantasmas da rua do medo · Fear Street · Ficção Científica · Fox Kids · Ghosts of Fear Street · Goosebumps Horrorland · Goosebumps series 2000 · Halloween · Literatura Nacional · Mistério · Misticismo · Resenhas · Rua do Medo · Serial Killer · Sobrenatural · Teorias · Terror Psicológico · The Nightmare Room · Tudo o que gostaria de saber sobre The Haunting Hour · TV · Welcome to dead house · [ The Haunting Hour] · [Anos 90] · [Disney] · [Fantasmas à solta] · [Filmes] · [Goosebumps] · [Leitores] · [Literatura] · [Livros] · [R. L. Stine] · [Séries] · [Terror]

Tudo o que gostaria de saber sobre The Haunting Hour

Como todo mundo sabe, sou muito fã do R. L. Stine e depois de tirar férias com direito a Netflix, vim compartilhar com vocês uma das minhas séries favoritas.  Senhoras e senhores, apresento The Haunting Hour.

 The Hauntig Hour – A Série é um seriado americano de terror, com episódios de meia hora. O show estreou no canal The Hub nos Estados Unidos em 2010. Voltado para crianças e jovens, a trama é inspirada nas histórias de terror do Autor R. L. Stine. Cada episódio possui uma história diferente, alguns com continuações, outros não.

“A Floresta De Lovecraft “: um dos episódios mais assustadores e um dos melhores da série.

A série segue a mesma linha de A Hora do Arrepio (The Nightmare Room), seriado que passava no SBT em 1998 e é uma série publicada pela Editora Rocco, escrita pelo R. L. Stine. Nos episódios, forças ocultas e criaturas sobrenaturais envolvem as histórias cujo mistérios no final são revelados. A trama tem uma carga muito forte com lição de moral, assim como as outras obras do Stine – Goosebumps e Clube do Terror. The Haunting Hour foi reprisado recentemente pelo canal HBO Family e apresentou vários atores que começaram a carreira no programa, como Debby Ryan (do seriado Jessie) Dylan Minnette que curiosamente protagonizou o filme de Goosebumps em 2015 no papel do adolescente Zach Cooper.

Alguém conhece esse rapaz? Foto nos bastidores da gravação do episódio que Dylan participa.

Uma coisa muito comum na série são os atores participando de outros episódios e interpretando diferentes personagens, visto que a maioria dos episódios são independentes dos outros ( Dylan foi um desses). A série possui vários episódios inesquecíveis. Quem não se lembra da boneca psicótica em “Igual a você: parte 1 e parte 2”? Ou da pousada sinistra de “A Pousada dos Pesadelos”? A pousada dos pesadelos é um dos meus episódios favoritos ao lado do episódio “Vô Vampiro – parte 1 e 2”, que por sinal tem Christopher Lloyd – a lenda de De volta para o futuro – no papel do avô vampiro. Quase pirei quando descobri isso haha

Olha o Lloyd como vampiro *–*

Mas um dos melhores episódios e mais assustadores é sem dúvidas “A Floresta de Lovecraft” que é uma clara referência/ homenagem ao Escritor Lovecraft, um dos maiores escritores de horror que já existiu. O episódio é surreal e aborda um dos meus temas preferidos na ficção.  Outro episódio que me deixou assustada foi o “Espantalho” e o seu final destruidor. Juro que nunca imaginei um final daquele! Para ter uma ideia, a série produziu um final alternativo para esse episódio. E mesmo assim, nem em mil anos esperava que terminasse daquela forma. Foi chocante!

Apesar de seguir ideias semelhantes as “séries – irmãs” como: A hora do Arrepio, Clube Do Terror e Goosebumps, senti que The Haunting Hour flerta bem mais com Além da imaginação (The Twilight Zone) – série clássica de terror, sobrenatural e ficção cientifica da década de 50 que foi refilmada nos anos 2000 e exibida no SBT – só que para o público infantojuvenil, com finais repletos de reviravoltas e arrepios. R. L. Stine já confirmou em entrevistas que TTZ foi uma grande inspiração para as suas séries. Por conta disso, The Haunting Hour se tornou uma das minhas séries favoritas desde que descobri no youtube. Ah, a série foi filmada em Vancouver no Canadá e possui um visual de tirar o fôlego. Mais um motivo para assistir >.<

Se você curte enigmas, histórias eletrizantes e um bom conto de terror, assista The Haunting Hour! A série ainda está disponível no Netflix e tem três temporadas por lá. Especula-se de que em breve o Netflix vai passar a 4ª temporada.  Escute os meus conselhos e vá assistir! Garanto que a sua vida nunca mais vai ser a mesma.

P.s: Essa série foi uma das inspirações que tive para escrever Maratona Do Terror ❤

Dia das Bruxas · Diário de uma escritora outsider · Halloween · [Diário de uma Escritora Outsider]: #Dia2 Ritual para escrever terror · [Leitores] · [Literatura] · [Livros] · [Terror]

Diário de uma Escritora Outsider: #Dia2 Ritual para escrever terror

Eu prometi vários posts para semana passada e falhei miseravelmente. Vocês já devem estar cansados das minhas promessas, né? Mas por favor, não desistam de mim!

Caso vocês não saibam, sou aluna de Letras da UFRJ e isso quer dizer que fiquei quase quatro meses parada por causa da greve e o período equivalente ao 2015. 2 começou em Novembro. Então, enquanto todo mundo está curtindo as férias, estou me dividindo entre leituras – trabalhos – seminários – provas da faculdade, trabalhos da vida real, vida social e livros que escrevo. Acaba que sem querer o site fica por último. Juro que estou tentando mudar isso.

Essa semana é a primeira que fiquei sem nenhuma pendência da faculdade – a princípio, porque comecei a ler os livros para a minha monografia – e a primeira coisa que pensei é que finalmente vou poder me dedicar a Maratona Do Terror 2 ou aquele livro de bruxas que não paro de falar por aqui. Pausa para dizer que eu sou completamente enlouquecidamente apaixonada por bruxas. É uma relação surreal, quase sobrenatural que não consigo explicar. Desde pequena sou fascinada por esse mundo, assisto Abracadabra – que é um dos meus filmes favoritos da vida – desde que me entendo por gente, assistia A hora do Arrepio, Goosebumps e Clube do Terror nas minhas tardes em casa ou nos sábados. Lembro também que sofria muito, porque aqui no Brasil não se comemora o Halloween. A lembrança mais antiga que tenho é de receber a Revista da Barbie (sim, eu fui assinante) que era um especial de Halloween do dia do das Bruxas e surtei. Fiquei tão pirada que tenho até hoje o que restou do exemplar, porque cortei a revista toda e colei no caderno que escrevo Maratona Do Terror 2. Eu sou aquela louca por Bruxas e Halloween.

 

Como me descobri com tempo livre, resolvi voltar a escrever Maratona Do Terror 2. A história desse livro começa no #NaNoWriMo 2015 quando decidi atingir 50 mil palavras. E eu consegui! Só que quando cheguei na meta, decidi descansar um pouco e aconteceu o inevitável. Me distanciei da história, não terminei de escrever e não cumpri a minha meta. Fiquei bastante chateada, mas isso não dependia só de mim. Afinal, tinha que trabalhar e fazer trabalhos para a faculdade. Conciliar é algo muito difícil para uma pessoa desfocada como eu.

E é claro que o meu ritual para escrever não seria uma coisa fácil. Eu moro com um monte de gente, barulho e distração fazem parte da minha realidade. Logo, só encontro silêncio de madrugada e isso se torna uma coisa muito complicada quando se tem que acordar sete horas da manhã ou até antes para ir a faculdade. Voltando ao assunto, como fiquei muito tempo longe da história e mesmo com o esqueleto pronto, precisava entrar na vibe do livro. E isso inclui assistir filmes e séries temáticos, escrever ouvindo música e pesquisar em mais de cinco abas tudo sobre bruxas, halloween e etc. Não, isso não é uma desculpa. Isso é uma realidade quando se é uma Autora de terror.

 

Sim, isso dá um trabalho do caramba. Só que é essa parte de desafio, de descobrir mais e mais coisas que vão me inspirar e agregar coisas ao meu conhecimento que gosto mais, que me dá mais vontade de escrever. Eu sempre descubro alguma coisa diferente, algum dado importante ou encontro um livro que vai me ajudar. É uma longa lista de referências que me ajudaram muito a chegar no ponto em que estou e pretendo em fazer um post só sobre isso.

Playlist selecionada, som bem alto para nada me atrapalhar, várias abas abertas e caderno do Maratona Do Terror no lado, chegou a hora de voltar para Amy e companhia. Senti muita falta deles. Vocês vão ainda ouvir muito sobre eles ❤

E não, para me inspirar a escrever, não preciso me conectar a fantasmas, nem nada do tipo. Minha mente já viaja normalmente lol.

Alô 2016 · [Crônicas] · [Leitores] · [Literatura] · [Livros]

Alô 2016

Sim, eu sei que ando sumida.

Mas em minha defesa informo que esse final de ano foi bem intenso: retorno as aulas da faculdade – já que a greve de três meses no meio do ano ferrou tudo – Natal, ano novo, família, aniversário do Djan e vida real, porque a gente vive, né?

Não me esqueci dos vídeos. Fiquem tranquilos que quando menos esperar vão surgir vários vídeos com a minha pessoa para não enjoarem de mim. E espero incluir os melhores de 2015 nisso. Infelizmente não li muito no ano de 2015 e isso é uma ENORME vergonha que NADA justifica. Mesmo com TCC vindo aí, pretendo continuar lendo bastante. E nossa, tenho muuuuitas novidades pra contar pra vocês. 2016 já começou com a corda toda!

Agora preciso ir que os episódios de Friends me esperam. Ah, FELIZ DIA DO LEITOR, SEUS LINDOS! Obrigada por me fazerem a Escritora mais feliz do universo! Muitos beijos, suspiros, livros e chocolates. Yaaaay *—*

foto60