Editora Fundamento · Geek Girl · Holly Smale · Infantojuvenil · Nickelodeon · Resenhas · Teen · [Disney] · [Literatura] · [Livros]

Geek Girl – Livro 01 (Holly Smale)

Caso você tenha caído de paraquedas por aqui, saiba que apesar de curtir muito ficção sombria, também sou muito fã de comédias. Sejam elas românticas, teens, young adults, etc. É claro que foi amor à primeira vista por Geek Girl que é um livro muito fofo. Apesar de ter o público infatojuvenil como alvo, a galera não só pode, como deve se aventurar por essa série que é pura diversão!

Geek Girl é um livro escrito pela Holly Smale (que é uma fofa e já me respondeu no twitter <3) publicado pela Editora Fundamento e narra a história de Harriet Manners, uma garota inteligente que sofre bullying por “não se encaixar” entre os adolescentes da sua idade. Nat, sua melhor amiga sonha em ser modelo e a arrasta para ajudá-la a realizar o seu sonho. Harriet só não esperava que o jogo mudasse e ela entrasse no meio do caminho (e do sonho) da melhor amiga. Em pouco tempo, a personagem é jogada no meio do mundo da moda sendo vista como uma promessa e tendo que trabalhar com um modelo muito gatinho. Seu pai comemora a novidade enquanto a sua madrasta reluta em aceitar. A relação dos pais dela (sim, a madrasta a criou como filha) rende muitas risadas, os dois são muito engraçados e fogem um pouco do “estereótipo” de pais comuns.

Apesar de não ter sido nerd durante a adolescência e nem uma ótima aluna em matemática e álgebra como a personagem, me identifiquei muito com a Harriet. Principalmente na parte desastrada. Assim como ela, tenho o dom de sair caindo por aí. Somos um imã para esse tipo de coisa. A Harriet é uma jovem ingênua, simples e fiel aos seus amigos e família. A personagem quer viver a sua vida comum, mas é contagiada pelo “E se…” e decide apostar em um futuro diferente. De início, é claro que ela fica com receio com a vida nova. Afinal, Harriet desconhece esse universo da moda, ela vem de outro mundo: o dos livros. A história é muito divertida, bem estruturada e possui uma narrativa super gostosa. A escrita da autora é viciante e a composição dos personagens faz com que os leitores se identifiquem com eles. É um daqueles livros que perdemos a noção do tempo e só notamos quando chegamos ao fim.

Geek Girl é o primeiro da série que leva o mesmo nome do título. Ou seja, têm muitas aventuras da Harriet por aí. A história possui vários plot twits, o que talvez seja surpreendente para muitas pessoas por conta do gênero. Como um bom livro para adolescentes, é claro que não poderia faltar aventuras e muitas confusões. GG também aborda questões importantes como amizade, família, bullying, padrão de beleza e identidade. Geek Girl é um livro bem no clima das séries da Disney e nickelodeon, não duvido nada que no futuro uma dessas emissoras faça uma adaptação para a TV. Aliás, os livros funcionariam muito bem como série de TV, até mesmo por conta da forma como o romance foi criado. Um detalhe que me deixou curiosa é que na época em que li o livro, a capa era igual a que postei lá em cima, mas vi vários blogs e sites divulgando a capa abaixo como a capa do livro 1 (que por sinal é igual a capa original e achei o máximo, porque ela é mil vezes mais linda <3). Que bom que a Editora modificou, já que as capas originais são muito bonitas, divertidas e funcionam bem em grupo.

Acho que ficou claro que me diverti muito com Geek Girl. Foi uma história que me ganhou e deixou um gostinho de quero mais, estou doida pra ler a continuação e saber o que acontece com Harriet e cia. Tem alguém aí que já leu esse livro? Conta para mim, estou doida para saber o que acharam ❤

Beijos,

Ju.

P.s: Essa resenha foi postada anteriormente em meu skoob e blog, mas achei legal compartilhar com vocês e claro, com o texto adaptado ❤

Anúncios
Comédia adolescente · comédia romântica · cultura pop · Editora Gutenberg · Faça seu pedido · Faça seu pedido (Mandy Hubbard) · Mandy Hubbard · Nickelodeon · Resenhas · Teen · [Comédia] · [Disney] · [Filmes] · [Leitores] · [Literatura] · [Livros] · [Séries]

Faça seu pedido (Mandy Hubbard)

“Kayla McHenry está tendo o pior aniversário de dezesseis anos da história! E não é só porque ela é diferente. Fica difícil se divertir quando você está apaixonada pelo namorado da sua melhor amiga.

Na hora de assoprar as velinhas, Kayla faz um pedido: “Eu desejo que todos os meus desejos de aniversário se tornem realidade. Porque eles nunca se realizaram”.

Na manhã seguinte, ela acorda e vê um Meu Querido Pônei cor-de-rosa pastando em seu jardim. No dia seguinte, depara-se com um carregamento de chicletes de bolinha para um ano inteiro. E, então, um cara meio plastificado chamado Ken aparece e começa a segui-la por toda a cidade, a bordo de um conversível!

A cada dia, um novo desejo se torna realidade. Mas… isso PRECISA PARAR. Porque, quando fez quinze anos, Kayla desejou ganhar um beijo de Ben Mackenzie… E Ben, agora, é nada menos que o namorado de sua melhor amiga!”

Olá terráqueos, tudo bem? Que saudade de vocês, que saudade daqui!

Faz um longo tempo que não dou as caras no site. Pelas minhas contas foram quase sete meses de hiatus. Wow! Durante esse tempo, estava super enrolada com a faculdade que emendou um período de retorno da greve com mais um semestre, tcc e os freelas de revisão e leitura crítica que tenho feito. Quando o novo período da faculdade começou, prometi que continuaria a escrever, ler e postar, mas não foi isso que aconteceu. Acabei me envolvendo com as leituras da monografia, fiquei assistindo muitas séries, comi muita yakisoba, fiz novos amigos e decidi que daria um tempo para me dedicar. Mas é claro que também não deu certo haha. Agora estou de férias (eu tenho um mês) e decidi que vou continuar a escrever, ler, postar e vlogar sempre que possível e sem pressão. Eu senti muita falta desse universo e mesmo que, ainda envolvida com o tcc e suas leituras – que estão paradas, aliás – gosto de ler outros livros, escrever e aparecer por aqui. Ou seja, estamos de volta! Yeeeah!

Por causa do tcc, eu fiquei sem ler durante um tempo e com uma ressaca horrorosa. Mas nesse mês de Julho, fiquei sem internet e adivinha o que aconteceu? Isso mesmo, eu li muito, tipo demais! Eu li seis livros em um mês! Para alguém que não estava lendo nada, até que fui muito bem. E um desses livros que li, me diverti horrores e pensei que tinha que falar sobre ele com vocês. Porque sério, ele é incrível! O livro em questão é Faça seu pedido, da autora Mandy Hubbard da Editora Gutenberg. Uma amiga já tinha me indicado, mas não tinha dado muita atenção. Posso dizer que me arrependi amargamente de ter demorado tanto para ler! Faça seu pedido conta a história de Kayla McHenry, uma adolescente que na sua festa de 16 anos pede ao assoprar as velinhas que todos os seus desejos de aniversários se realizem. Ela só não contava que isso realmente fosse acontecer! Seu desejo de aniversariante se realiza e é aí que a loucura começa! Ela é surpreendida por um pônei cor de rosa, várias bolinhas de chiclete em seu quarto, Ann, a boneca trapinho e o Ken que surgem em carne e osso para atrapalhar ainda mais a sua vida.

Acontece que Kayla está com alguns problemas. Ela e sua melhor amiga Nicole andam afastadas agora que a amiga começou a namorar Ben, justamente o cara que ela gosta. E no meio disso tudo, tem que lidar com essa confusão dos desejos e não faz ideia de como resolver. O livro tem uma narrativa muito gostosa, a leitura é fluída e uma comédia das boas. Faça seu pedido é um livro que tem cara de sessão da tarde bem clichê, bem do tipo que eu amo. O flerte com a fantasia é um ponto interessante que torna a história ainda mais atrativa!

Eu virei a madrugada lendo (mais um ponto positivo, pois é possível ler de uma vez só) e gargalhei muito. O livro aborda muitas questões interessantes como amizade, lealdade, amor e relacionamento com os pais. Me identiquei em vários momentos e lembrei dos meus pedidos de aniversários e imaginei que louco seria se eles virassem realidade haha! Fiquei curiosa para ler outros livros da autora e indico para qualquer pessoa que assim como eu, ame comédias românticas, protagonistas fortes e engraçadas como a Kayla que é muito atrapalhada e não resistem a uma história açucarada. Vai por mim, é diversão garantida. Além do mais, o livro tem uma capa super gracinha e é uma daquelas histórias que a gente vai se lembrar pra sempre, com direito a várias referências disney’s. Cinco estrelinhas

Durante a leitura, vi a Kayla diversas vezes como a Selena Gomez (especificamente a Alex Russo de Os feiticeiros de Waverly Place, série que eu amo) e Dove Cameron como Nicole (atriz mega fofa de Liv e Maddie, outra série que eu adoro). Se alguém se interessar em fazer uma adaptação, seria uma ótima ideia hein? rsrs

99 fear street · As cinco máscaras do Dr. Gritus · As cinco máscaras do Dr. Gritus (Goosebumps - Castelo dos Horrores 03) · Clube do terror · Contos de Arrepio · Contos de Terror · Cultura Gótica · cultura pop · Dark · Dia das Bruxas · Fantasmas da rua do medo · Fear Street · Fox Kids · Ghosts of Fear Street · Goosebumps Horrorland · Goosebumps series 2000 · Halloween · Infantojuvenil · Jogos Macabros · Mês Especial do Halloween · Mistério · Party Games · Resenhas · Se assuste comigo · Se assuste comigo: As cinco máscaras do Dr. Gritus (Goosebumps - Castelo dos Horrores 03) · Sobrenatural · Teen · Terror Psicológico · [Goosebumps] · [Literatura] · [Livros] · [R. L. Stine] · [Séries] · [Terror]

Se assuste comigo: As cinco máscaras do Dr. Gritus (Goosebumps – Castelo dos Horrores 03)

Que eu sou fã do R. L. Stine, não é novidade para ninguém, mas aproveitei essa vibe de Halloween para falar sobre um livro dele que amei e é muito arrepiante, As cinco máscaras do Dr. Gritus – Goosebumps / Castelo dos Horrores: Vol 3/. Esse livro faz parte da série Goosebumps, que já falei aqui anteriormente e vai estrear esse mês no Cinema com Jack Black. Assim como a série Goosebumps Horrorland, no qual as histórias se passam em um parque de diversões sinistros, Goosebumps Castelo dos Horrores são histórias contadas que se passam em um Castelo assombrado com a presença de um narrador sinistro. Até onde sei os volumes são independentes – ou seja – é possível ler fora de ordem numa boa.

As cinco máscaras do Dr. Gritus conta a história de dois irmãos, Mônica e Peter que não se dão bem. Ela é a filha mais velha que tem que cuidar e tomar conta do irmão mais novo, o Peter que é a dor de cabeça em forma de gente. Bagunceiro, respondão e desobediente, o garoto tira a irmã do sério e para completar acaba arruinando o seu Dia das Bruxas, já que Mônica fica encarregada de levá-lo para pegar doces. Só que Peter acaba estragando a noite ao ficar irritando as amigas da irmã e os dois se veem sozinhos com uma noite inteira para desfrutar. É a partir daí que as coisas começam a fugir do controle. Teimoso do jeito que é, Peter decide ir buscar doces em uma Rua deserta na qual ele e a irmã não tem muito costume de passar. Ao chegar lá, acabam conhecendo a dona que é uma mulher um tanto peculiar e quando notam, já estão envolvidos em uma aventura recheada de perigo e muitos sustos.

Curti muito a leitura desse livro, pois As máscaras do Dr. Gritus me cativou e mais uma vez, R. L. Stine me surpreendeu. Suas tramas são irresistíveis, pois ele consegue construir uma narrativa completa, bem costurada e sem furos. Goosebumps é aquele tipo de livro que você chega ao fim e diz: “- Não acredito que ele fez isso comigo!”. O autor consegue juntar terror, fantasia, aventura com um pé na comédia e fazer tudo de forma muito coerente. Outro ponto positivo são os personagens que são muito bem construídos que podiam ser perfeitamente pessoas comuns, mesmo o livro se passando em um ~enredo fantasioso ~ E é justamente isso que mais me fascina nesse tipo de trama.  Os livros de terror nada mais são do que metáforas para o nosso dia a dia. Vejo tanta gente condenando o gênero, que é do coisa ruim, blá blá; quando na realidade elas retratam o maniqueísmo e a luta do bem contra o mal que enfrentamos todos os dias.

O livro é uma ótima pedida para quem quer curtir o Halloween com livros assustadores. Mesmo tendo como alvo o público infantil – juvenil, R. L. Stine chega a ser ousado em várias partes, fazendo com que até mesmo eu com meus vinte e poucos anos fique refletindo com os finais de seus livros.  Não pense duas vezes e se assuste comigo! Não se esqueça:

★ ★ ★ ★ ★

Asylum · Contos · cultura pop · Editora BestBolso · Editora Gutenberg · Fantasmas · Histórias de Detetives · Infantojuvenil · Literatura Nacional · Madeleine Roux · Minha vida fora de série · Minhas últimas leituras · Paula Pimenta · Poirot Investiga · Resenhas · Romance Policial · Tags · Teen · V&R Editora · [Agatha Christie] · [Leitores] · [Literatura] · [Livros] · [Terror] · [Top]

Minhas últimas leituras #01

Aproveitando que o inverno está chegando e o clima super combina com livros, café e um sofá quentinho, decidi compartilhar com vocês as minhas últimas leituras. Apesar de não ter lido muito em Junho, já que fiquei doente e aproveitei pra colocar as minhas séries em dia, decidi correr atrás do prejuízo e não me arrependi. Li muita coisa legal e ao mesmo tempo, sinistra. Sem mais enrolação, vamos a lista que interessa:

Poirot Investiga (Agatha Christie): Quem me acompanha nas Redes Sociais sabe que a Agatha Christie é uma das minhas autoras  favoritas do Universo. É o tipo de Autora que leio todos os livros e que coleciono todas as obras. Poirot Investiga (Editora BestBolso) é um livro que reúne contos da dama do crime. Confesso que apesar de amar contos, estava com receio de ler o livro, já que nunca tinha lido um  escrito por ela. Mais uma vez, é claro, me surpreendi. Fiquei feliz em constatar que os contos foram bem escritos, a Escritora consegue inserir início – meio e fim em 6 folhas sem deixar furo ou brecha!!! Sensacional! Agatha arrasa demais! 5 estrelas merecidas!

 

Minha vida fora de série #1 (Paula Pimenta): Outra Autora que adoro de paixão e sou muito fã é a  Paula Pimenta. Já tive a oportunidade de ler a coleção de Fazendo meu filme e é maravilhosa.  Um dia conto para vocês o quanto sou apaixonada pela série ❤ E pra quem não sabe, o Minha  vida  fora  de  série 1 (Editora Gutenberg) é o spin off de uma das minhas personagens  favoritas  de FMF, a  Priscila. Amei a ideia da Paula de contar mais da história dessa personagem.  Resumindo, Minha  vida fora de série é um livro muito gostoso e  amorzinho! Foi muito bacana  conhecer mais da  história dela e do Rodrigo. Fiquei curiosa pra ver o que vai acontecer! Terminei  querendo mais ❤  Não vejo a hora de ler o segundo e poder adquirir o terceiro que foi lançado na  última semana. A  princípio seriam 3 livros, mas parece que surgiu mais um O.o Me pergunto o que a Priscila pode estar aprontando! 5 estrelas, se pudesse ainda daria mais!

    Asylum (Madeleine Roux): Esse foi um dos livros mais perturbadores que li da lista, pra não dizer da vida. O livro conta a história de Daniel Crawford, um garoto de 16 anos que decide fazer um curso de versão para se habilitar antes entrar na faculdade. Lá ele faz amigos e descobre que o lugar em que estuda e mora já foi um sanatório, mais conhecido como um asilo. O garoto descobre vários segredos que rondam o lugar que abrigou doentes e assassinos. A história tem um enredo rico, mas tive a sensação de que demorou a “engrenar”. Quem é fã de Thriller e terror sabe que é comum encontrar “ligações”, “fios” entre o decorrer da trama. Só que a Autora demorou a fazer isso. O que tornou a leitura um pouco entendiante. Classifiquei com 3 estrelas, e sim é uma boa nota. Ah, Asylum (V&R Editora) faz parte de uma série. Ainda não sei se vou continuar a ler. Acho que é o tipo de livro que podia ser único.

Espero que tenham curtido a lista! E vocês, o que estão lendo? Prometo voltar em posts desse tipo mais vezes. Me diverti criando haha Foram 4 tentativas!!! Sei não, acho que esse Asylum aí tentou não me deixar postar hahaha :p

Não deixem de comentar o que acharam 🙂

99 fear street · A hora do arrepio · Clube do terror · Contos de Arrepio · Contos de Terror · Cultura Gótica · cultura pop · Dark · Editora Fundamento · Fantasmas da rua do medo · Ghosts of Fear Street · Goosebumps Horrorland · Goosebumps series 2000 · Halloween · Infantojuvenil · Jogos Macabros · Lobisomens · Minhas coleções de livros do R. L. Stine · Mistério · Misticismo · Party Games · Rua do Medo · Serial Killer · Sobrenatural · Teen · Terror Psicológico · TV · Zumbis · [ The Haunting Hour] · [Anos 90] · [Crônicas] · [Editora Rocco] · [Filmes] · [Goosebumps] · [Leitores] · [Literatura] · [Livros] · [R. L. Stine] · [Terror]

Minhas coleções de livros do R. L. Stine #Parte1

 

Dizem que na vida todo mundo carrega um vício. Alguns chocolate, roupas e nos meu caso foram os livros. Ué, como assim foram? Bem, não escondo de ninguém que sempre fui apaixonada por livros e isso me fez comprar vários, alguns de forma impulsiva. Com o tempo, reparei que não era justo. Consegui me “desapegar” e doei alguns livros, dei, troquei, fiz sorteios e vendi. Cheguei a conclusão de que posso amar os livros, mas isso não significa que deva comprar sem parar e deixar largados na estante “só pra tirar foto” ou como dizem, “ostentar”. Meus livros diminuíram muito e agora posso dizer que não são mais um vício, mas sim uma paixão.

Ainda assim, me permiti cometer algumas loucuras hehe. Todo mundo é fã de alguém na vida. Seja na música, na tv ou na Literatura. Comigo, não podia ser diferente. Sempre que leio livros e acabo me apaixonando pela escrita do Autor, decido acompanhar as outras obras dele.  Hoje venho apresentar a minha coleção de livros de um dos Escritores que mais amo no universo, R. L. Stine ou Bob – como os fãs o chamam.  Pode não parecer, mas sou muito exigente com os livros. Tirando o R.L. Stine, também faço coleção dos livros da Agatha Christie, Stephen King, L. J. Smith, Paula Pimenta, Scott Westerfeld, Marian Keyes e J. K. Rowling. Se vocês toparem, faço outro post sobre as minhas outras coleções.

 

 

Draculaura fazendo companhia aos irmãos *–*

Meu interesse pelos livros do R. L. Stine começou com a série que acompanhava pela TV e os livros que tinham na Biblioteca e feirinha do colégio que estudava. Na época, não tinha dinheiro para comprar e costumava pegar emprestado da biblioteca e das amigas. Foi assim que acabei me apaixonando pela escrita instigante e viciante do Escritor. O que mais me impressionava é que apesar de escrever para crianças, os adultos também liam os seus livros e ficavam encantados. Acho que essa é a magia do livros, torná-los universais de forma que diferentes públicos se interessem por ele.

Passei praticamente a minha infância e adolescência inteira assistindo O Clube do Terror, Goosebumps e A hora do arrepio. Como falei em outro post, todas essa séries e mais The Haunting Hour – uma espécie de regravação de A hora do arrepio em 2010-  foram baseadas em seus livros. Alguns episódios podem até ser diferentes dos livros, mas 90 % segue o ritmo da história. O tempo passou, acabei parando de assistir, mas os livros dele nunca saíram do meu coração. E foi quando comecei a escrever os meus próprios livros  buscando Livros e Escritores que me inspiraram, fiz uma viagem no túnel do tempo e decidi começar a fazer coleção. Ah Juliana, mas são livros de criança! Não, não são. R. L. Stine tem fãs de todas as idades, é super popular nos Estados Unidos e também escreve livros para adultos, na mesma vibe de Stephen King.

Acho que o destino quis ajudar, porque em uma dessas trocas em que me desfiz de alguns livros, encontrei uma leitora que queria trocar os livros dele. Foi um sinal e a partir daí, comecei a caça aos livros de Bob. Infelizmente alguns títulos como Rua do Medo, Fantasmas à solta e A hora do arrepio foram publicados pela Rocco há muito tempo e não faço ideia se eles continuam publicando. Já os exemplares de Goosebumps são publicados pela Editora Fundamento. Resumindo: alguns comprei em sebos, troquei e ganhei de aniversário e sem ser no meu aniversário hahaah. O mais legal é que amigos costumam encontram os livros dele e logo vem me avisar. Adoro quando sou lembrada, isso é bem coisa de fã ❤

Sei que vocês devem pensar que a minha coleção é modesta, mas acreditem que estou fazendo de tudo pra adquirir mais títulos. Até já entrei em contato com donos de sebos pra vocês notarem o amor que tenho por essas séries. Também acabei fazendo muitas amizades com outros fãs, o que é ótimo. Apesar de R. L. Stine ser popular no Brasil é difícil entrar em contato com os fãs. A notícia boa é que recentemente foram públicados lá fora dois livros da Fear Street: Party Games e Don’t stay up late, ou melhor da Rua do Medo e estou torcendo para a Rocco publicá-los. Já perguntei para eles, mas a Editora ainda não me respondeu a respeito. R. L. Stine participou de um Evento de lançamento do livro na semana passada em Nova York, o que me fez ficar bem triste por não poder estar lá, mas quem sabe um dia? Sonhar não custa nada!

Para o texto não ficar mais longo, se vocês toparem, posso falar sobre os livros em futuros posts. E aí, topam? Outra notícia boa é Goosebumps vai virar filme com Jack Black. Pirei com a notícia ❤ Isso é ótimo para os livros e o R. L. Stine voltarem com força total! 2015 é um ótimo ano para ser fã de R. L. Stine hahaha

 

Editora Novo Conceito · Infantojuvenil · Susane Colasanti · Teen · [Livros] · [Tipo Destino]

Tipo destino – Susane Colasanti

Todo mundo já ouviu histórias da melhor amiga que rouba o namorado da amiga. Pois é, eu também. E nunca na minha cabeça entra que a melhor amiga de uma pessoa pode fazer isso. Mas acontece e muito. Me lembro da minha época de ensino médio e ouvir colegas falando a respeito disso. Todo mundo sabe que isso pode ser uma grande traição e que a amizade pode nunca mais ser a mesma. Nunca vivi isso, mas é fácil falar quando não se está nessa posição não é mesmo?
“A amiga rouba namorados” é um tema polêmico. Já vi muitos filmes e li alguns livros sobre o assunto e sabemos onde isso dá. Em coisa boa é que não é.
Como estou de férias, decidi ler “Tipo Destino” da escritora Susane Colasanti publicado pela Editora Novo Conceito que fala justamente sobre isso.  De duas grandes amigas que são apaixonadas pelo mesmo garoto.  PASMEM.

E se sua alma gêmea fosse o namorado de sua melhor amiga?
E se sua alma gêmea fosse o namorado de sua melhor amiga?

O livro narra a história de Lani e Erin, melhores amigas que apesar de serem muito diferentes são unidas por conta de um acontecimento e desde então, são fiéis uma a outra. Lani é aquele tipo de garota preocupada com o planeta, amante de natureza e muito fã de signos. Ela lê o horóscopo todos os dias e acredita que o Destino é algo fascinante. Já Erin, é a típica garota falante que todo mundo conhece e adora, agenda cheia, que não dispensa uma festa e nem namorados. As duas são bem diferentes e eu sei, esse enredo é bastante clichê. Até que Jason chega, colocando tudo de cabeça para baixo.
Jason e Erin começam a namorar, mas o que Lani não entende é o motivo dele se sentir tão atraído por ela. E é aqui que devo destacar alguns pontos. Confesso que no início, a história não me pegou e Lani não me convenceu nem um pouco (Por aquele motivo que expliquei nos primeiros parágrafos). Não conseguia compreender como Lani aceitava tão fácil aquela atração sem ao menos se importar com a sua melhor amiga. No meio disso tudo tem Blake, um dos melhores amigos de Lani que é gay não assumido e a convence a correr atrás de Jason. Uma atitude nada legal se querem saber. Acontece que o verão chega e Erin terá que viajar para o acampamento. Lani e Jason ficam na cidade e o resto vocês podem imaginar.
E olhem, odiei a personagem. Tá certo que Lani tenta fugir de Jason e vários desencontros acontecem. Só que em um determinado momento, eles começam a se encontrar mais do que desencontrar e Lani acredita que isso seja um sinal do Universo para que fiquem juntos.
A situação fica insustentável, o verão acaba e novo um ano escolar se inicia. Até que Erin descobre a triação e ferida, transforma a vida de Lani em um verdadeiro inferno. Essa é a questão. A vida de Lani, não a de Jason. Por quê?
Tá ok. Acredito na ideia de que a amiga deve esperar lealdade da melhor amiga e não do namorado. Em primeiro lugar a amizade e não o amor, mas por quê só infernizar a Lani?
Alguns meses atrás não teria pensado nisso. Acontece que no decorrer da leitura, observei que Lani sofre várias ameaças, bullying e até mesmo é chamada de ~ ARGH ~ vagabunda pelos colegas de escola, enquanto Jason continua com a sua boa vida de sempre. Ele não é infernizando por ninguém, não é excluído e todos continuam o adorando mesmo a culpa sendo dele também. Foi impossível não pensar que isso provavelmente aconteceu porque Lani é mulher. E porque todo mundo que a trata mal, inclusive Erin estão repetindo aquele comportamento machista que infelizmente existe. E nessa hora fiquei com muita raiva, muita mesmo. De uns tempos para cá, tenho lido muito sobre feminismo. E sim, sou feminista. Me interesso pelo assunto e sei que tenho que melhorar muito como ser humano, porque até uns tempos atrás era eu reproduzindo esse pensamento besta. E fiquei pensando o porquê a autora estava descrevendo aquela situação. Foi então que percebi que não poderia ser diferente, porque infelizmente essa é a realidade. É óbvio que não curti como os acontecimentos desenrolaram, mas como autora, ela pode denunciar essa realidade e trazer uma reflexão como a que fiz e quem sabe, fazer com que as coisas mudem e que nos próximos livros a situação se reverta.
E quem diria, a minha opinião sobre o livro mudou radicalmente. Eu que acreditava que se tratava de um livro clichê e que no início até odiei a protagonista, acabei adorando a história e gostando muito da forma como Susane colocou as coisas. Sei que muita gente odiou esse livro, achou ele bobo. Mas a questão é que a autora sabe captar o universo adolescente e no final, estava mudando de opinião sobre Lani e entendendo tudo que o tinha acontecido. Tanto o lado dela quanto o da Erin. Infelizmente a amizade das duas pode até não ter sido mais a mesma coisa depois do ocorrido, mas gostei do desfecho e tudo o que o livro me trouxe. Mesmo que a autora não tenha explorado a temática “O namorado da minha melhor amiga” quanto Emily Giffin em “O noivo da minha melhor amiga” que tive a oportunidade de assistir o filme e aborda bem mais essa situação que esse livro. Tipo Destino valeu e muito. A história conseguiu cumprir o que deveria. Trazer algum questionamento que ajude a me tornar uma pessoa melhor, olhar de forma diferente melhores amigas que se apaixonam pelo namorado da amiga e aprender a se colocar no lugar do outro.