Galera Record · Insaciável · Insaciável #01 (Meg Cabot) · Paródia · Resenhas · Sobrenatural · [Literatura] · [Livros] · [Meg Cabot]

Insaciável #01 (Meg Cabot)

Se tem uma coisa que sempre curti muito foram histórias de vampiros. Sou sim fã de Crepúsculo e todos os livros de vampiros que surgiram na onda sobrenatural de 2010. Já falei aqui antes e vocês devem ter notado, que a maioria dos livros que leio são dessa época e não é à toa.

Insaciável #1 da Meg Cabot faz parte desse hype, mas de uma forma diferente. Como todo mundo sabe, Meg Cabot é autora de séries que amo como Diário da Princesa, A mediadora, etc. Meg é uma autora tão versátil e talentosa que vai do romance histórico para uma comédia sobrenatural sexy como esse livro.

O livro narra a história de Meena Harper, uma jovem roteirista que vive em Nova York junto com o irmão Jon. Ela é cética em relação a assuntos sobre seres sobrenaturais e modas de vampiros. Só que a personagem tem o dom de prever quando alguém vai morrer. É óbvio que ninguém acredita nela e se isso não fosse o suficiente, a protagonista não consegue arrumar um pretendente sem saber como ele vai morrer, o que a torna um tanto quanto solitária. Por conta da audiência interessada nessa vibe sobrenatural, seus chefes decidem mudar o enredo do programa Insaciável que Meena escreve (daí o título do livro). Só que o programa que Meena trabalha não tem nada a ver com essa onda vampiresca que tomou conta dos livros e séries de TV. Acontece que o programa concorrente Luxúria (ri tanto com esse título) está fazendo muito sucesso e é claro que isso é culpa dos sugadores de sangue. Idaí que Meena terá que escrever histórias de vampiros.

Para ela, isso pode ser o fim do mundo. Mas a personagem não contava que sua vizinha fofoqueira Mary Lou, decidisse apresentá-la ao príncipe Lucien Antonesco. De início, ela não curte a ideia, mas quando o conhece, muda de opinião. Lucien é o típico partidão: bonito, rico, atencioso e… príncipe das trevas, o filho do empalador, Vlad, sugador de vampiro!

A partir daí as coisas começam a complicar e Meena se mete em várias confusões por conta do seu amor vampiro (que clichê). Os dois acabam se apaixonando perdidamente, mas no meio disso tudo tem a Guarda Palatina que está atrás do criminoso que anda tirando a vida de jovens inocentes e jogando os corpos em parques a céu aberto. Para complicar a vida dela, entra Alaric Wulf, um caça vampiros lindo só que um tanto intrometido e idiota. E sinceramente, não sei como ele consegue ser um caça vampiro!

A leitura do livro (como todos os livros) da Meg é muito gostosa. Ela consegue amarrar a trama de uma forma que prende o leitor e faz embarcá-lo na viagem junto com ela, rindo, se divertindo e se emocionando. Apesar da história ser sobrenatural, fica bem claro que ele foi criado no intuito de ser quase uma paródia desses livros de vampiros que fizeram sucesso nas costas de Crepúsculo e The Vampire Diaries. Insaciável se encaixa como uma comédia sobrenatural, com cenas sexy, porque afinal, estamos falando de personagens adultos e muitos mistérios. Fiquei bastante surpresa ao constatar o uso da terceira pessoa, porque os romances da Meg são conhecidos – em sua grande parte -por serem narrados em primeira pessoa. Foi uma surpresa e tanto, mas boa. Uma das coisas que mais me encanta na escrita da autora é que ela pode escrever diferentes gêneros, mas ainda assim consegue deixar a marca dela, a sua essência. E isso é fantástico! O livro possui um triângulo amoroso e apesar de ser Team Lucien sem dúvidas (porque o Alaric é um idiota e não dá pra torcer por ele), em alguns momentos torci para a Meena ficar com Alaric. Apesar de ter a minha preferência, a autora nos deixa na dúvida e é bem perceptível que existe uma química entre Meena e Alaric e não faço ideia onde isso vai dar! Confusões a vista, of course. Outra coisa que amei demais é que a história retrata o ambiente de TV por conta das séries que são filmadas e como boa escritora que sou, essas partes se tornaram as minhas favoritas! Adoro quando histórias retratam e mostram o outro lado da vida hollywoodiana.

Me diverti horrores lendo esse livro! Quem leu deve ter notado que há muitas críticas sobre essa moda vampiresca. E muito coerentes por sinal. Acredito que quem for ler, vai se divertir, sofrer e se assustar com os personagens. Acreditem, é uma leitura bem “Meg Cabot” só que mais adulta. Amei o livro e quando vi já estava no fim com direito a um final épico e uma continuação, Mordida. Vou ver se leio em breve, pois estou louca para saber o que vai acontecer com Meena. Quem será que ela vai escolher, Lucien ou Alaric? (Espero que seja o Lucien).

E aí, curtiram o post? Deixem seus comentários!

Beijos,

Ju.

P.s: Essa resenha também foi postada no meu antigo blog e skoob. Existem muitos materiais meus espalhados pela web e estou recuperando, (os que mais curti, tem mais a ver com o site e postando aqui), mas claro adaptando de acordo com a minha opinião após releituras. Fiquem tranquilos, pois vamos ter muito conteúdo novo. Já repararam que estamos tendo posts todos os dias, né? Espero que gostem do que está vindo por aí ❤

Anúncios
Minha babá é uma vampira · Minha babá é uma vampira (My Babysitter's a Vampire - O Filme) · My Babysitter's a Vampire · Resenhas · Sobrenatural · TV · [Disney] · [Filmes] · [Séries] · [Terror] · [Vampiros

Minha babá é uma vampira (My Babysitter’s a Vampire – O Filme)

 

Os pais do adolescente Ethan Morgan resolvem contratar uma babá para cuidar do menino e sua irmã mais nova Jane. A escolhida é Erica, uma menina que decide deixar o serviço para ir em uma festa. Sarah assume o lugar da garota, mas Ethan começa a desconfiar que ela é uma vampira. Ao lado do melhor amigo, ele vai viver uma aventura muito perigosa.

Minha babá é uma vampira (My Babysitter’s a Vampire) é um filme da Disney , produzido no Canadá que virou série após o seu estrondoso sucesso e arrebatar muitos fãs. O filme conta a história de Ethan Morgan, um adolescente que após se envolver em muitas encrencas ao lado do seu melhor amigo, Benny e não cuidar da sua irmãzinha Jane é obrigado pelos pais a ter uma babá. Se o mico não fosse suficiente, a babá em questão é Erica, sua colega de escola. Ethan é o típico geek, aficionado por games e ficção científica, o que traz um tom mais cômico para o enredo.

Enquanto isso, Erica anda chateada com a sua melhor amiga Sarah. Nos últimos tempos, as duas andam afastadas desde que a primeira começou a namorar Jesse, o cara mais gato da turma do teatro e pra lá de sombrio. Chateada com a amiga que anda com um comportamento estranho e pouco se importando com a estreia do filme de vampiros Penumbra –  que as duas são fãs – Erica decide ir a uma festa com a turma de Jesse e deixa a amiga e o emprego de lado.  Sarah que fica estranha sempre que Jesse, seu ex – namorado está por perto, tenta impedir a amiga de ir, mas ela ignora. Sarah então vai no lugar da amiga para o trabalho de babá.

Ao se deparar com a chegada da babá, Ethan e Benny notam que Sarah se comporta de um jeito estranho. Ela não tem reflexo no espelho e é super misteriosa.  Eles não esperavam que Sarah fosse uma vampira e que ela tivesse sido mordida por  Jesse. A partir daí, os dois se envolvem em muita confusão e vão tentar de tudo para salvar Sarah e seus amigos, Erica e Rory.  Acontece que Jesse é o líder da gangue do mal dos vampiros, quer roubar as almas dos habitantes de Whitechapel  para prender em um cubili animus e trazer os antigos vampiros para acabar com a paz do lugar. E ele pretende fazer isso na estreia de Penumbra 3, justamente no dia em que o cinema vai estar lotado de jovens.

Os vampiros de My Babysitter’s a Vampire conseguem andar no sol, mas precisam usar óculos escuros e no caso de Sarah, que é uma novata, tem 28 dias para se alimentar de sangue humano ou o seu corpo morre de verdade para sempre. Daí a pressa para acabar com os vampiros, rola um clima entre Ethan e Sarah que fazem um casal bem fofinho.

Para completar, Ethan descobre que é um vidente e Benny um bruxo, descendente de uma linha de feiticeiros que está prometido para uma coisa grandiosa. Dispostos a salvar a cidade e não deixar Jesse seguir com o seu plano doentio, Ethan e seus amigos se metem em uma luta contra vampiros muito perigosa, com direito a sabres de luz a lá Star Wars (só quem viu o filme vai entender haha).

Minha babá é uma vampira é mais um filme da safra de modinha de vampiros de 2010. É um filme de terror e sobrenatural para o público infantojuvenil, mas não deixa de ser uma comédia indicada para todas as idades. As confusões entre Ethan, Benny e Rory são hilárias. Eles são super nerds e muito atrapalhados! A história tem um pé no trash por conta dos efeitos especiais (estamos falando da Disney né?), mas de um jeito legal e não apelativo. O filme faz várias referências a Crepúsculo e várias outras obras que seguem a linha sobrenatural- vampiro, já que Penumbra 3 é uma sátira a saga. (A história de Penumbra 3 gira em torno de uma garota comum que se apaixona por um vampiro).

Depois do sucesso, o filme virou série e conta com duas temporadas. Mas isso é um assunto para outro post.  Se você curte um filme no maior estilo teen, meio Goosebumps, meio High School musical nerd sombrioterror Disney e “aquele clima de tudo pode acontecer”, Minha babá é uma vampira é o título certo. Corre que o filme e a série estão disponíveis no Netflix (e corre mesmo, porque vire e mexe, eles tiram do ar haha).